EUA: leitura final do PIB aponta tombo de 31,4% no 2º trimestre

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

A leitura final do Produto Interno Bruto (PIB) do segundo trimestre nos Estados Unidos veio pouco melhor do que o mercado projetava. Apontou queda de 31,4%, ante recuo de 31,7% divulgados na segunda prévia. A primeira leitura apontava um tombo de 32,9%.

Ainda assim, o resultado é o mais baixo já registrado desde os anos 1940. Ele foi divulgado nesta quarta-feira (30) pelo Bureau of Economic Analysis, do Departamento do Comércio dos EUA.

No trimestre anterior, que já captava em parte a crise decorrente da pandemia de coronavírus, a queda havia sido de 5%. E dois trimestres atrás, houve alta de 2,1%.

Participe do maior evento de investimentos da América Latina

PIB EUA

Reprodução/BEA

Crise do coronavírus explica queda recorde

De acordo com o relatório, a revisão para cima na terceira estimativa refletiu principalmente uma melhora nas despesas de consumo pessoal (PCE) nos EUA.

Mas o o resultado capta uma mudança brusca na atividade econômica do país devido aos fechamentos decorrentes das medidas de isolamento social, com “consumidores e empresas cancelando, restringindo ou redirecionando seus gastos”.

Houve reduções nas despesas de consumo pessoal, exportações, investimento em estoque privado, investimento fixo e investimento dos governos estaduais e municipais. Todas estas foram apenas parcialmente compensadas pelo aumento nos gastos do governo federal, segundo o Departamento do Comércio.

O Índice de Preços para Gastos de Consumo Pessoal (PCE) teve queda de 1,6% no segundo trimestre. No trimestre anterior, ele registrou avanço de 1,3%.

Os gastos dos consumidores, que representam dois terços do PIB, caíram 33,2%, ante queda de 6,8% registrada no trimestre anterior.

PIB: previsão do FMI era de queda de 37%

O resultado do PIB, apesar de ser o pior trimestre da história, veio melhor do que a projeção do Fundo Monetário Internacional (FMI). O fundo apostava em contração de 37% da economia americana.

Para o ano, a previsão é de queda de 6,6%.