EUA têm 5,2 mi novos desempregados; total na crise supera 20 mi

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

Os pedidos de auxílio-desemprego nos Estados Unidos vieram pouco acima das expectativas do mercado.

Foram 5,245 milhões de novos pedidos até 11 de abril, segundo divulgação do Departamento de Trabalho dos EUA nesta quinta-feira (16).

Eram projetados 5,105 milhões de novos pedidos.

Mas o número indica uma queda em relação aos pedidos da semana passada, finalizada em 4 de abril, quando foram registrados 6,615 milhões de solicitações – o número foi revisado dos 6,606 milhões anunciados anteriormente.

Mais de 20 milhões de desempregados

No acumulado de quatro semanas, desde que tiveram início os bloqueios e paralisações decorrentes da pandemia de coronavírus, as novas solicitações do auxílio ultrapassam os 20 milhões.

A média móvel de quatro semanas foi de 5,508 milhões. Em relação à semana anterior, houve um aumento de 1,240 milhões. Este dado também foi revisado para cima. A média anunciada anteriormente era de 4,265 milhões e passou para 4,267 milhões.

O avanço da taxa de desemprego com ajuste sazonal foi de 8,2%. Isto representa um aumento
de 3,1 pontos percentuais em relação à semana anterior. E é o mais alto nível já registrado desde 1975, quando o índice foi de 7%.