EUA: confiança do consumidor cai 31,9 pontos

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

A confiança do consumidor nos Estados Unidos, auferida pelo Conference Board, recuou de 118,8 pontos em março para 86,9 pontos em abril. A divulgação do indicador foi feita nesta terça-feira (28).

O Índice da Situação Atual, baseado na avaliação dos consumidores sobre as atuais condições de negócios e mercado de trabalho, também teve queda acentuada. Foi de 166,7 para 76,4 pontos.

No entanto, o Índice de Expectativas, com perspectivas de curto prazo, melhorou. Foi de 86,8 em março para 93,8 neste mês.

“A confiança do consumidor enfraqueceu significativamente em abril, impulsionada por uma severa deterioração nas condições atuais”, disse Lynn Franco, diretora do Conference Board.

“A queda de 90 pontos no Índice de Situação Atual, a maior já registrada, reflete a forte contração da atividade econômica e o desemprego provocados pela crise do Covid-19”, afirmou.

Já as expectativas de curto prazo, ela aponta, melhoraram conforme eram anunciadas as medidas para o fim da quarentena no país.

EUA: Reabertura pós-quarentena

Alasca, Geórgia, Carolina do Sul, Tennessee, Texas e outros estados dos Estados Unidos já deram início à reabertura de empresas e comércio.

Em consequência, as ações em bolsa ligadas ao setor varejista são as que mais sobem desde segunda-feira (27). Os investidores apostam que este deve ser o segmento mais impactado pela volta dos consumidores às lojas pós-quarentena.

No entanto, para Jeffrey Gundlach, CEO da DoubleLine, empresa de pesquisa de mercado, o momento é de cautela. “A empolgação pela retomada não pode ignorar a perda de 26 milhões de empregos. Isto gera um mal-estar social”, disse, segundo a CNBC.

Ele se refere ao total de novos pedidos de seguro-desemprego solicitados nos EUA em pouco mais de um mês devido à crise do coronavírus.

O estado de Nova York vai manter a política de isolamento total, segundo a CNN. O governador do estado, Andrew Cuomo, afirmou que a previsão para o início da reabertura é dia 15 de maio. Mas apenas nas localidades que tiveram declínio de infecções por 14 dias seguidos.

EUA têm quase 1 milhão de infectados pelo Covid

De acordo com a Universidade Johns Hopkins, os EUA têm, neste momento, 988 mil casos confirmados de coronavírus. Os óbitos chegam a 56.255.

Apesar do alto número de infectados, a instituição afirma que a curva está perto de ser achatada. Isso, porque o número de infectados diário tem diminuídos diariamente.