EUA: atividade industrial tem nova contração em maio

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

A atividade industrial nos Estados Unidos teve nova contração em maio. O índice dos gerentes de compras (PMI na sigla em inglês), calculado pelo Institute of Supply Management (ISM), ficou em 43,1 pontos.

Toda leitura abaixo de 50 pontos indica retração econômica, ao passo que leituras acima de 50 indicam crescimento.

O resultado de maio, no entanto, registrou ligeira melhora na comparação com abril, quando foi de  41,5 pontos.

O índice ISM é o resultado de uma pesquisa mensal feita com de 400 empresas de 20 indústrias. Ela abrange todos os 50 estados norte-americanos.

Queda nos componentes do PMI

O Índice novos pedidos registrou 31,8 pontos, ante 27,1 da última leitura.  O Índice de Produção registrou 33,2 pontos, ante 27,5 de abril. O Índice de Emprego no setor foi de 27,5 para 32,1 pontos – a expectativa era de 35 pontos.

O Índice de Entregas de Fornecedores registrou 68 pontos. Embora tenha caído 8 pontos percentuais em relação aos 76 de abril, a alta ajudou na leitura de maio. O Índice de Estoques registrou 50,4 pontos, acima da leitura de 49,7 de abril.

O Índice de Preços registrou 40,8, um aumento de 5,5 pontos em comparação com a leitura de 35,3 em abril. O Índice de Novos Pedidos de Exportação registrou 39,5, um aumento de 4,2 pontos em comparação com a leitura de abril de 35,3. E o Índice de Importação registrou 41,3%, uma queda de 1,4 ponto em relação à leitura de abril de 42,7.