ETFs: uma alternativa para o dinheiro render mais

Felipe Moreira
Felipe Moreira é Graduado em Administração de empresas e pós-graduado em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 6 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Photo by Austin Distel on Unsplash

Com a taxa básica de juros na mínima histórica e a perspectiva de permanecer nesse patamar por algum tempo. O investidor em busca de rentabilidade atrativa terá que migrar parte do capital para renda variável. Sendo assim, os ETFs podem ser uma boa alternativa.

Pois, esse investimento permite ao pequeno investidor entrar no mercado acionário sem muito recursos e mesmo assim diversificar o risco. Sob esse contexto, os ETFs ou fundo de índices ganharam espaço no âmbito nacional.

Os ETFs estão no Brasil há mais de 15 anos, nesse período o crescimento foi exponencial. No entanto, ainda está muito aquém do seu potencial. Segundo boletim divulgado pela B3, nos 4 primeiros meses de 2019, o volume negociado foi superior ao em todo ano de 2018.

Vantagens dos ETFs

Os ETFs possuem diversas vantagens para o investidor. Isso acontece porque através desse investimentos é possível acessar o mercado de ações sem complicações. Além disso, por ser formado por uma carteira de ativos é uma boa pedida para a diversificação.

Sendo assim, com uma única cota, o investidor tem acesso a várias ações. No entanto, para alocar em ETFs é preciso comprar, no minimo, 10 cotas do fundo. Atualmente, existem opções a partir de R$ 50,00 por cota.

Além disso, os fundos de índices permitem acesso a investimentos fora do país.

Conheça alguns ETFs negociados no Brasil:

  • BOVA11: formado por ações de empresas que representam 80% ou mais das negociações da B3;
  • BRAX11: composto pelas 100 ações mais negociadas na Bolsa;
  • SMAL11: baseado em uma carteira teórica de pequenas empresas com capacidade de crescimento e valorização;
  • IVVB11: composto pelas ações das 500 maiores empresas dos Estados Unidos;
  • DIVO11: formado com as empresas que fizeram os maiores pagamentos de dividendos na bolsa;
  • PIBB11: composto pelas 50 ações com maior negociabilidade, volume e liquidez da B3.

Os ETFs têm suas rentabilidades ligadas ao desempenho das ações em carteira.

Sua carteira de investimentos está preparada para aproveitar a retomada de crescimento do Brasil? Essa pode ser a oportunidade da sua vida!

Deixe seus dados abaixo e nossa equipe entrará em contato para lhe ajudar.

Ou se preferir, ligue direto para 4007-2374.