Estímulos monetários dão alívio temporário para bolsas

Dia de volatilidade apresenta mercados mistos e viradas em bolsas

Guilherme Paulo
Eu Quero InvestirColaborador do

Crédito: Shutterstock

Mercado Europeu

Na Europa os mercados fecharam mistos, com a Alemanha beneficiada pela divulgação de dados econômicos acima das expectativas dos analistas, e a alta da libra pressionando as ações em Londres.

As exportações da Alemanha subiram 0,7% em julho, contra a expectativa de declínio de 0,6%. O resultado foi inesperado. No Reino Unido, dados divulgados hoje mostraram que o PIB manteve-se inalterado nos 3 meses até julho, demonstrando a resiliência da economia britânica.

Além disso, os investidores aguardam a divulgação da política monetária do BCE na quinta-feira (12), que deverá vir com novos estímulos.

Alemanha | DAX [+0,28%]

Londres | FTSE 100 [-0,64%]

França | CAC 40 [-0,27%]

Zona do euro | Euro Stoxx 50 [0,00%]

Itália | FTSE MIB [+0,19%]

EUR/USD [+0,24%] | € 1,1054

Bolsas Norte-americanas

Novos temores em relação a guerra comercial atingem o  mercado norte-americano, e fazem ações de tecnologia e da área de saúde recuarem.

Na parte dos indicadores, apenas será divulgado o crédito ao consumidor às 16 horas. As bolsas operam em queda.

Dow Jones 30 [-0,01%] | 26.795 pontos

S&P 500 [-0,15%] | 2.974 pontos

Nasdaq [-0,40%] | 8.070 pontos

VIX [+5,53%]

Commodities

O preço do petróleo ganhou força após a Arábia Saudita substituir o ministro da energia. A referência norte-americana, o WTI, opera com ganhos de 2,58%, a US$ 57,98, e a referência britânica , o Brent, tinha ganhos de 2,18%, a US$ 62,88.

O Ouro perde valor conforme investidores optam por ativos de risco, sendo negociado a US$ 1.511,35 (-0,27%).

Mercado Brasileiro

No cenário político, as discussões em torno da nova CPMF estão ganhando terreno, com o ministro Paulo Guedes colocando o tema em pauta.

O Ibovespa oscila com a queda nas bolsas em Nova Iorque, mas é sustentada principalmente por ações do setor de materiais básicos e financeiro.

O dólar, que durante a manhã perdia terreno para a moeda brasileira, virou e agora tem ganhos firmes contra o real que opera na contramão das divisas emergentes.

Após atingir na máxima do dia 104.260 pontos, em alta de 1,28%, o índice opera agora com ganhos de 0,29%, a 103.231 pontos. O dólar opera a R$ 4,096 (+0,87%)