“Estamos monitorando de perto o coronavírus”, diz presidente do Fed

Marcelo Hailer Sanchez
Jornalista, Doutor em Ciências Sociais (PUC-SP) e Mestre em Comunicação e Semiótica (PUC-SP). Pesquisador em Inanna (NIP-PUC-SP). Trabalhei nas redações do Mix Brasil, Revista Junior, Revista A Capa e Revista Fórum. Também tenho trabalhos publicados no Observatório da Imprensa e revista Caros Amigos. Sou co-autor do livro "O rosa, o azul e as mil cores do arco-íris: Gêneros, corpos e sexualidades na formação docente" (AnnaBlume).
1

O Federal Reserve (Fed) está “monitorando de perto” o coronavírus, o seu impacto na China e o quanto ele pode afetar o crescimento da economia global, declarou Jerome Powell, presidente do Fed, nesta terça-feira (11) diante do Congresso.

Em sua declaração semestral ao Congresso, Powell lamentou que a nova ameaça ocorra exatamente quando as incertezas comerciais haviam diminuído, embora, ressaltou, a economia dos EUA pareça “resiliente” aos ventos contrários e globais.

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

Mesmo diante da ameaça global que o coronavírus representa, Powell afirmou que a política do Fed está bem posicionada após uma série de cortes na taxa em 2019.

“Enquanto as informações recebidas sobre a economia permanecerem amplamente consistentes com essa perspectiva, a posição atual da política monetária provavelmente permanecerá apropriada”, disse Powell.

O representante do Fed também comentou sobre a política de juro baixo. “Esse ambiente de baixa taxa de juros pode limitar a capacidade dos bancos centrais de reduzir as taxas de juros de política suficiente para apoiar a economia durante uma crise”, disse.

Powell também afirmou que a economia americana está crescendo em um ritmo “moderado” e observou que “os fundamentos de apoio aos gastos das famílias ainda são sólidos”.

Também foram destacados os fortes ganhos no mercado de trabalho. Powell apontou para o grande número de vagas de emprego criadas e disse que os empregadores estão mais dispostos a contratar pessoas com menos experiência.

“Como resultado, os benefícios de um forte mercado de trabalho tornaram-se mais amplamente compartilhados. As pessoas que vivem e trabalham em comunidades de baixa e média renda estão encontrando novas oportunidades”, declarou Powell.

Alguns desafios de longo prazo foram citados por Powell: disparidades na participação na força de trabalho de alguns grupos étnicos e raciais; os ganhos de produtividade que “foram inferiores durante toda essa expansão econômica” e que por conta disso, a produtividade está “fraca, diminuindo os lucros das empresas norte-americanas e isso pode fazer com que reduzam capital de despesas e sejam mais cautelosas quanto à contratação.

“Encontrar maneiras de aumentar a participação e a produtividade do trabalho deve continuar sendo a prioridade nacional”, declarou o presidente do Fed.

Com informações da CNN e CNBC.

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3