Estagflação: saiba o que é e suas consequências

Humberto Maurício Pennacchia
null
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

Nesta matéria, você conhecerá um dos fenômenos mais cruéis, nocivos e devastadores que a economia de um país pode enfrentar. Estou me referindo a estagflação. Essa palavra gera preocupação em governantes, economistas e, principalmente, na população.

O que significa estagflação? 

Quando falamos em estagflação, estamos nos referindo a uma situação em que um país enfrenta, simultaneamente, um processo de recessão (diminuição da atividade econômica) e inflação alta.

Quando a palavra  estagflação foi usada pela primeira vez?

A palavra estagflação foi usada pela primeira vez em 1965.

Como isso se deu?

Nessa época, o político britânico Sir Iain Macleod, fazendo uso da tribuna no Parlamento, alertava para as condições econômicas do Reino Unido. Segundo ele: “Agora temos o pior dos dois mundos: não apenas a inflação de um lado ou estagnação do outro, mas os dois juntos”. Essa afirmação acabou criando o neologismo (emprego de palavras novas, derivadas ou formadas de outras já existentes)  que perdura até hoje.

Quando a palavra estagflação ganhou notoriedade mundial?

A palavra estagflação ganhou notoriedade mundial em 1970.

O que houve nessa época? 

Durante a década de 70, houve uma expansão excessiva de crédito e demanda agregada nos EUA. Isso elevou o endividamento tanto do governo americano quanto das empresas e dos consumidores. O auge dessa crise se deu a partir de restrições impostas pelos países produtores de petróleo, levando ao aumento dos preços da matéria prima e deixando em dificuldades produtores que dependiam muito fortemente da commodity. Essa situação trouxe pressão nos preços (inflação) em conjunto com a queda da atividade empresarial que, por estar bastante alavancada, teve dificuldades em realizar novos projetos. A estagflação também costuma apresentar uma grande queda na demanda por bens e serviços pela população. Além de uma escalada do desemprego.

Conheça algumas situações notórias de estagflação: 

Reino Unido nas décadas de 1960 e 1970. O que houve nessa época?

Aconteceu o aumento da inflação de forma desordenada e a falta de uma política monetária (controle da oferta de dinheiro na economia)  eficiente para controlar a situação.

Temos a estagflação na Alemanha do pós-guerra. O que houve nessa época?

Após a primeira guerra mundial, a Alemanha estava barbaramente endividada. Isso minava o seu crescimento econômico. Aliado a isso, o país vivia um quadro de inflação completamente fora do controle.

Saiba o que acontece com um país que enfrenta um quadro de  estagflação: 

  1.  Haverá aumento da inflação.
  2.  Queda da atividade econômica.
  3.  Elevação do desemprego.
  4.  Diminuição da arrecadação de impostos por parte do governo.
  5.  Como consequência do item anterior, o governo terá menos dinheiro para fazer investimentos em áreas prioritárias, tais como: saúde, segurança, educação, etc.

Perceba que, a estagflação arrebenta as bases econômicas de um país. Esse é o pior dos mundos. A economia entra num circulo vicioso muito difícil de ser rompido.

Atualmente, o Brasil corre o risco de viver um quadro de estagflação? 

No momento, a chance é remota. O que embasa nosso pensamento:

  1. A inflação está benigna, controlada e  abaixo da meta estipulada.
  2. A economia brasileira está em ritmo crescente de expansão.
  3. O nível de investimentos no país está em elevação gradual.
  4. O índice de confiança do empresariado é o maior desde 2010.
  5. As taxas de juros estão nos menores níveis históricos.
  6. As famílias estão voltando a consumir.
  7. As empresas estão com capacidade de produção ociosa.

Esses são alguns dos fatores que descartam, por hora, a possibilidade de estagflação.

Qual foi a última estagflação que o Brasil viveu?

Esse fenômeno aconteceu em 2015, motivado por politicas expansionistas de crédito sem controle.

Como consequência, tivemos queda do PIB de 3,5% em 2015 e inflação de 10% segundo o IPCA. Diante desse quadro, o Brasil fechou 2015 com 8,6 milhões de desempregados.