Estados Unidos já concederam US$ 230 bi em créditos a pequenas e médias empresas

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: Reprodução/Facebook

Steven Mnuchin, secretário do Tesouro dos Estados Unidos, confirmou que o governo de Donald Trump já liberou US$ 230 bilhões dos US$ 350 prometidos às pequenas e médias empresas do país.

De acordo com informações da AFP, o montante já foi direcionado a 4,6 mil credores e tem como principal função ajudar o setor a se manter aquecido durante a pandemia de coronavírus.

A medida aprovada pelo Congresso dos Estados Unidos contemplará as empresas que tenham até 500 funcionários sob uma condição: a de que voltem a contratar seus empregados.

A aprovação dos US$ 350 bilhões aconteceu de forma rápida, mas com alguma dificuldade, já que os bancos tiveram uma reação inicial de negar a liberação do valor.

O acordo prevê que as instituições financeiras liberem o dinheiro, mas é o governo federal quem garante e cancela a dívida caso a empresa receptora consiga manter seus funcionários ou os recontrate até 30 de junho.

Dinheiro na mão

Mnuchin informou também, em entrevista coletiva, que 80 milhões de trabalhadores norte-americanos receberão, nesta quarta-feira, uma transferência bancária.

Esse é um outro ponto de um pacote de estímulos de US$ 2,2 trilhões aprovado pelo Senado e sancionado no fim de março por Donald Trump para que a ajuda em dinheiro chegue diretamente nas mãos dos trabalhadores.

O “coronavoucher” norte-americano é substancialmente maior do que o aprovado pelo governo brasileiro também como ajuda aos mais necessitados durante a pandemia.

De acordo com a AFP, Trump determinou que uma família com dois adultos e duas crianças receberá o total de US$ 3.400 (aproximadamente R$ 17 mil).

No Brasil, o “coronavoucher” é de R$ 600 (aproximadamente US$ 120) ou R$ 1200 (US$ 240) no caso de mulheres que sejam chefes de família.

Mercados globais têm alta após balança comercial chinesa

Dólar continua a moeda mais importante do mundo