Estados Unidos ameaçam sobretraxar produtos franceses em até 100%

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.

Crédito: Reprodução

Os Estados Unidos estão prontos para iniciar uma “guerra” contra a França em represália a uma atitude do país europeu que acabou sendo considerada “discriminatória” pelo governo de Donald Trump.

Segundo relatório divulgado no início da semana pelo USTR (Escritório do Representante Comercial dos Estados Unidos), a França começou a aplicar um imposto “irracional, oneroso e discriminatório” para o comércio norte-americano especializado em serviços digitais – Google, Facebook, Amazon e Apple, por exemplo.

Para contra-atacar tal decisão, os Estados Unidos estão preparando uma sobretaxa para produtos franceses, com valor comercial de US$ 2,4 bilhões (incluindo queijos, vinhos, champanhes e outros), em até 100%, a partir de 2020.

O embaixador Robert Lighthizer informou que o USTR “está focado em combater o crescente protecionismo dos estados membros da UE (União Europeia) que atinge injustamente as empresas norte-americanas” e que abrirá investigações sobre os impostos de serviços digitais cobrados por Áustria, Turquia e Itália.

A atitude de Lighthizer foi enaltecida e aprovada por Donald Trump. Durante participação em reunião da Otan, o presidente reforçou que a União Europeia tem tratado os Estados Unidos “de forma muito injusta”.