Estados pretendem privatizar zoológicos, casas de repouso, estádios e outros ativos para amortizar dívidas em 2020

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.

Crédito: Reprodução/Zoológico

O aumento das dívidas dos Estados brasileiros junto à União deve provocar uma verdadeira enxurrada de privatizações por todo o País em 2020.

Segundo reportagem publicada pelo Estadão Conteúdo nesta terça-feira (7), a gama de serviços é extensa.

Além de setores tradicionais, como energia elétrica, rodovias, aeroportos e empresas de telecomunicações, também estão na lista de concessões ativos como mirantes, marinas, hotéis e casa de repouso, além de estádios de futebol, cozinha-escola em presídios, zoológicos e centros de eventos.

O segmento com maior número de ativos disponíveis, segundo levantamento do Estadão, é o de transportes, que inclui linhas de ônibus, metrô, terminais rodoviários, trens intermunicipais, rodovias e portos, como o de Santos.

A reportagem informou que, segundo a gestão de João Dória, no total, são 21 projetos aprovados pelo Conselho Gestor de PPPs e Concessões do Estado, que podem ser licitados até o fim de 2020 e vão gerar investimentos da ordem de R$ 40 bilhões.