Erros do investidor: onde você está falhando?

Bruno Costa de Souza
Economista formado pela FECAP.

Crédito: Shutterstock

A pandemia ocasionada pela Covid-19 resultou em um aumento no número de investidores no Brasil.

De acordo com um levantamento feito pela empresa NZN, 80% dos entrevistados alegaram que iniciaram algum tipo de investimento nesse período. Dentro desse universo, 34% citam que as condições do cenário atual contribuíram para a decisão de começar a investir.

Segundo Alexandre Carvalho, CFO da NZN, o isolamento social contribuiu para o aumento do consumo de conteúdo, e no âmbito dos investimentos não foi diferente.

Para 30% das pessoas entrevistadas, o consumo de conteúdo sobre investimentos foi determinante na decisão de se tornar um investidor.

A pesquisa indica que 44% das pessoas que começaram a investir escolheram a bolsa de valores. De acordo com Carvalho, outros investimentos começaram a ser considerados pelos brasileiros.

Além da pandemia, quando as bolsas desabaram e culminaram no “circuit breaker”, a evolução decrescente da taxa Selic também motivou a procura por investimentos na bolsa de valores. Entretanto, alguns erros comuns são cometidos. Nesta sessão, serão listados os 5 principais erros do investidor:

Investir antes de construir a reserva de emergência

A reserva de emergência é um valor que deve ser reservado para ser utilizado em qualquer eventualidade que possa surgir, como por exemplo: alguma despesa médica, reparos na casa, ou até mesmo em momentos em que acontece uma perda de renda repentina.

Segundo os especialistas, o ideal é calcular o gasto mensal individual de 6 a 12 meses. Além de possuir liquidez, isto é, o recurso fica disponível de forma rápida.

Investimentos em renda fixa são os mais recomendados para alocar a reserva de emergência.

Não buscar conhecimento

O novo investidor deve estar antenado aos acontecimentos que podem impactar os investimentos.

Tomar atitudes precipitadas e sem embasamento pode resultar em prejuízos drásticos e arruinar um patrimônio que levou anos para ser construído.

Uma boa forma é procurar um mentor para receber auxílio nessa jornada, principalmente no início.

Concentrar os investimentos

A diversificação dos investimentos consiste em alocar o patrimônio em diferentes tipos de ativos. É importante que o investidor avalie sua disposição perante o risco e os objetivos ao escolher os ativos.

Sendo assim, a principal vantagem da diversificação dos investimentos é reduzir o risco das aplicações e garantir uma boa rentabilidade no médio e no longo prazo.

Concentrar os investimentos em poucos ativos produz grandes chances de comprometer a rentabilidade em momentos instáveis.

Possuir visão de curto prazo

De acordo com Warren Buffett, “o mercado de ações transfere dinheiro dos impacientes para os pacientes”.

Logo, essa frase traduz a visão de longo prazo de um dos principais investidores dos últimos tempos.

Ao investir em bons ativos, eles tendem a crescer e se tornar sólidos no longo prazo, gerando retorno aos acionistas.

A especulação na bolsa de valores é muito arriscada e ter uma visão de curto prazo é um dos principais erros do investidor.

Não estar preparado para momentos de instabilidade

Momentos de instabilidade existem e podem impactar os investimentos durante a jornada, por mais imprevisíveis que possam ser.

Nesses momentos, é comum o investidor se desfazer de bons ativos com receio de não obter a rentabilidade almejada. No entanto, esses ativos podem acabar se valorizando no futuro.

Um exemplo disso ocorreu no início da pandemia de Covid-19. Se considerarmos o longo prazo, uma forte queda teoricamente não deveria levar o investidor a vender suas ações em momentos de oscilação.

Não contar com assessoria

Os erros mencionados são muito frequentes no início da jornada do investidor. Ter conhecimento sobre eles fará com que o investidor tenha mais consciência e evite cair em armadilhas.

O assessor de investimentos pode ajudar nesse processo, contribuindo com as escolhas dos ativos de acordo com o perfil de risco de necessidades. Dessa forma, o investidor terá um caminho mais seguro na construção do patrimônio.

Evite os erros e bons investimentos!