Equatorial (EQTL3) aprova aumento de capital; Irani (RANI3) contrata financiamento

Marco Antônio Lopes
Editor. Jornalista desde 1992, trabalhou na revista Playboy, abril.com, revista Homem Vogue, Grandes Guerras, Universo Masculino, jornal Meia Hora (SP e RJ) e no portal R7 (editor em Internacional, Home, Entretenimento, Esportes e Hora 7). Colaborador nas revistas Superinteressante, Nova, Placar e Quatro Rodas. Autor do livro Bruce Lee Definitivo (editora Conrad)
1

Crédito: Reprodução / Equatorial Energia

A Equatorial (EQTL3) aprovou o aumento do capital social da companhia, sem a emissão de novas ações, no valor total de R$ 1.164.997.841,00.

Desse total R$ 148.754.450,56 são, segundo a empresa, provenientes da reserva legal e R$ 1.016.243.390,44, da reserva estatutária de reforço de capital de giro.

Irani (RANI3) contrata financiamento com o BNDES

A Irani (RANI3) informou que o Conselho de Administração da companhia aprovou a contratação de financiamento com a Agência Especial de Financiamento Industrial (Finame), subsidiária do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), no valor de até R$ 484 milhões.

De acordo com comunicado da Irani, os recursos serão destinados à execução dos investimentos previstos na Plataforma Gaia. A concessão do financiamento em favor da companhia foi aprovada pela diretoria do Finame em 27 de maio de 2021. As principais condições do financiamento contratado são as seguintes: o prazo de utilização é de 2 anos, contados da data da formalização jurídica da operação, podendo ser prorrogado, a critério do Finame, por até 12 meses.

O prazo de carência é de até 36 meses contados a partir do 15º dia imediatamente subsequente à data do protocolo do pedido de liberação de recursos referente a cada subcrédito.

O prazo total do financiamento é de até 192 meses, no caso de aquisição e comercialização dos itens financiáveis na Linha  BNDES Finame Baixo Carbono, Máquinas 4.0, Energia Renovável, demais BKs, ônibus e caminhões.

Segundo a empresa anunciou em março, o projeto de crescimento Plataforma Gaia demandará investimentos de R$ 743 milhões até 2023. A empresa começava, conforme afirmou naquele mês, negociações com o BNDES para o financiamento da maior parte ou até 100% desse valor. As informações são do Valor.

Segundo o presidente da Irani, Sérgio Ribas, os cinco projetos que compõem essa primeira etapa de investimentos estão dentro do cronograma e é possível que a conclusão ocorra antes dos prazos previstos inicialmente.

A Irani vai aumentar em 19% a capacidade de produção de celulose, em 23% a de papelão ondulado. Além disso, vai torna-se autossuficiente na cogeração de energia.

“Há uma mudança estrutural de consumo, com o avanço do comércio eletrônico e a busca por soluções mais sustentáveis, que vai manter aquecida a procura por embalagens em papel no país e ampliar a participação dessa indústria no total”, afirmou Ribas, em entrevista ao Valor.

Iguá (IGSN3): aumento de capital com emissão de ações

A Iguá Saneamento (IGSN3) aprovou, de acordo com comunicado, a ratificação do aumento de capital com a emissão de ações em contrapartida ao investimento a ser feito pelo FIP Mayim na companhia.

A empresa ratifica o valor atual do capital social de R$ 871.383.507,28, dividido em 207.017.884 ações ordinárias e aprova a emissão de 61.716.150 novas ações ordinárias, ao preço de R$ 9,661, perfazendo um valor total de R$ 596.239.791,53.

Iguá Saneamento (IGSN3) tem lucro 79% menor no 1TRI21

Segundo a Iguá, do valor total da emissão, o montante de R$ 581.946.166,54 será destinado à conta de capital social, e o saldo, no montante de R$ 14.293.624,9, vai ser reservado à conta de reserva de capital.

O acionista Iguá Fundo de Investimento em Participações Multiestratégia renunciou integralmente ao seu direito de preferência em subscrever novas ações em benefício do investidor.

Por sua vez, o acionista FIP Mayim renunciou parcialmente ao seu direito de preferência em subscrever novas ações em benefício do Investidor. O FIP Mayim subscreveu 1.759.652 ações, que serão integralizadas em moeda corrente nacional até 30 de abril de 2021.

O investidor subscreveu e integralizou, em moeda corrente nacional, 53.233.989 ações. O acionista BNDES Participações, o BNDESPAR, subscreveu e integralizou, neste ato, 6.722.509 ações.

Em virtude das deliberações, os acionistas decidiram alterar o caput do Estatuto Social da Companhia, que passarão a vigorar, com a seguinte nova redação:

-O capital social é de R$ 1.453.329.673,82, totalmente subscrito e parcialmente integralizado, dividido em 268.734.034 ações ordinárias.

-Todas as ações da companhia são escriturais, mantidas em conta de depósito, em instituição financeira autorizada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), em nome de seus titulares, com a qual a companhia mantenha contrato de custódia em vigor, sem emissão de certificados.

-Os acionistas têm direito de preferência, na proporção de suas respectivas participações na subscrição de ações, debêntures conversíveis em ações ou bônus de subscrição de emissão da Companhia, observado o prazo fixado pela Assembleia Geral, não inferior a 30 dias