EQIR11: fundo de papel da EQI Asset, focado em CRIs, é negociado na B3

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/B3

Começou a ser negociado na B3 o fundo imobiliário EQI Recebíveis Imobiliários FII (EQIR11), da gestora EQI Asset.

O foco da alocação de recursos do fundo são os CRIs (Créditos de Recebíveis Imobiliários), o que possibilita a diversificação através de produtos de renda fixa com taxas de rentabilidade mais previsíveis.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

Ao manter a diversidade de ativos na carteira, o fundo mantém uma boa performance, mesmo em momentos de alta de juros.

Durante o lançamento do fundo na bolsa, com direito a sino (veja o vídeo abaixo), Ettore Marchetti, CEO da EQI Asset, lembrou que era a segunda vez que a gestora comparecia ao local. Isso porque, no mês passado, foi lançado o TEQI11, outro fundo da casa – clique aqui para saber tudo sobre ele.

“Pela segunda vez estamos aqui, e é sempre muito gratificante trazer novidades positivas da EQI”, afirmou Marchetti.

“O EQIR11 é um fundo de recebíveis imobiliários high grade, que busca rentabilidade IPCA+7%, IPCA+8%”, explica. O “hig grade” indica que este é um ativo de maior qualidade, com menor risco.

O EQIR11 é administrado pelo BTG Pactual (BPAC11). Foram admitidas à negociação na B3 502.500 cotas, ao preço de R$ 100 cada.

EQIR11, TEQI11 e EQIN11

O fundo lançado se junta na bolsa não apenas ao TEQI11, mas também ao EQIN11, outro fundo que era da NCH Brasil e, portanto, agora faz parte da EQI Asset. Vale lembrar que a asset incorporou a NCH recentemente, com foco na expansão nacional e global.

Diferentemente do EQIR11, o EQIN11 é um fundo high yield, com expectativa de retorno mais alta – e, consequentemente, mais riscos assumidos.

B3 cada vez mais “laranjinha”

Mas as novidades da asset não devem parar por aí. A previsão é de que mais de dez fundos sejam lançados até o ano que vem, com foco também no agronegócio (Fiagro) e em Exchange Traded Funds (ETFs).

“A B3 vai ficar bem ‘laranjinha’ no próximo ano”, brincou Marchetti, referindo-se à cor da logomarca da EQI.

Sobre a EQI

EQI Asset já ultrapassou 1,5 bilhões sob gestão, enquanto aEQI Investimentos soma mais de R$ 12 bilhões.

A EQI é uma das maiores assessorias de investimentos do país, tendo 11 escritórios espalhados pelo Brasil, mais de 35 mil clientes e mais de R$ 11 bilhões sob assessoria. Em breve, a empresa deve alcançar o status de corretora de valores.

A EQI tem entre seus sócios o BTG Pactual, maior banco de investimentos da América Latina.

Como adquirir o EQIR11?

Para você não se perder no mar de opções dos investimentos, nós vamos te dar uma mãozinha e te ensinar como navegar na plataforma do BTG Pactual Digital (BPAC11), para comprar o EQIR11.

  • Se você ainda não tem uma conta no BTG Pactual Digital, clique aqui. Será necessário reconhecimento facial, foto de documento e alguns passos bastante simples de preenchimento de dados. Feito isso, você receberá via e-mail a confirmação da abertura da conta. O processo todo leva, em média, um dia.
  • Se você já tem conta no BTG Pactual Digital, então abra o aplicativo. Clique em “Investir/Produtos”.

  • Dentre as muitas opções de investimentos, selecione “Renda variável”.

  • Agora, selecione Home Broker.

  • No menu sanduíche no canto superior esquerdo, selecione Boleta.

  • Digite o ativo desejado: EQIR11.

  • Pronto! Agora é só definir a quantidade de cotas e comprar.

EQIR11: Entendendo o FII de CRI

Se você quiser entender mais sobre o que é o fundo EQIR11, vamos explicar abaixo.

O que é um FII?

Os Fundos de Investimentos Imobiliários (FIIs) compõem uma modalidade de investimento que aplica recursos em produtos financeiros relacionados ao mercado imobiliário ou em imóveis físicos, como shoppings, galpões e edifícios comerciais.

Desta forma, o investidor pode aplicar recursos no setor sem possuir um imóvel físico. Dentre as características do produto, estão: a isenção de imposto de renda para pessoas físicas, facilidade de administração quando comparado ao aluguel de um imóvel tradicional e menor aporte inicial.

O que é um CRI?

O CRI é um título de renda fixa emitido por companhias securitizadoras que tem por objetivo financiar, como o próprio nome diz, o mercado imobiliário.

Na prática, o que ocorre é uma espécie de antecipação de recebíveis: grandes incorporadoras, com contratos de longo prazo, “empacotam” seu recebimento futuro e trazem a valor presente.

Depois, transformam esse direito de recebimento por meio de uma securitizadora em CRI e permitem sua distribuição no mercado.

Quem adquire o papel faz um investimento com uma promessa de retorno do capital investido no futuro acrescido de juros.

Os CRIs são bastante semelhantes às LCIs (Letras de Crédito Imobiliário), mas estas últimas são emitidas por bancos.

Os CRIs podem ser pré-fixados (quando a taxa de rentabilidade é pré-determinada), pós-fixados (quando a rentabilidade é atrelada a algum indexador e, portanto, não é conhecida no momento do investimento), ou híbridos (como é o caso do EQIR11).

O segmento de recebíveis tem como característica o alto rendimento e o baixo risco de perda de patrimônio. Em períodos de alta volatilidade, como o atual, eles costumam ser uma boa alternativa para diversificação e mitigação de risco.

Como vantagens, os CRIs são isentos de imposto de renda e, apesar de não contarem com a cobertura do FGC, o Fundo Garantidor de Crédito, o lastro dos papéis é muito forte – os próprios imóveis físicos, que podem ser liquidados em caso de inadimplência.

E o que é um FII de CRI?

Juntando as duas informações acima, os Fundos Imobiliários focados em CRI, como o EQIR11, são ativos que tem como objetivo obter rentabilidade especificamente em uma carteira de CRIs. Dentro do universo dos FIIs, eles são denominados como fundos de papel ou FIIs de papel, ou seja, focam em títulos e papéis do mercado imobiliário e não nos imóveis físicos.

Se quiser saber mais sobre o EQIR11 ou outros ativos, preencha o formulário abaixo para que um assessor da EQI entre em contato.