Envio de Forças Armadas ao Ceará para segurança é autorizado por Bolsonaro

Jéssica De Paula Alves
Jornalista e produtora de conteúdo

Crédito: Reprodução Marcelo Camargo/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro autorizou envio de tropas das Forças Armadas ao Ceará para reforçar segurança. Segundo a Agência Brasil, um decreto foi assinado por ele na quinta-feira (20). Assim, os militares permanecerão na região até o próximo dia 28.

Publicado em edição extra do Diário Oficial da União (DOU), do ecreto de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) e também é assinado pelos ministros Fernando Azevedo e Silva (Defesa) e Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional).

Segundo a Agência, cerca de 300 homens da Força Nacional de Segurança já foram enviados ao Estado, após o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, atender ao pedido feito por Camilo.

Conquiste sua Independência Financeira. Conheça os 4 Pilares para Investir

O presidente ainda afirmou que o governo precisa do Congresso para aprovar o chamado excludente de ilicitude. Ele foi retirado do pacote anticrime enviado por Moro. Bolsonaro disse que a medida poderia dar amparo aos militares que irão atuar no Ceará durante operações de GLO.

Sobre o episódio envolvendo o senador Cid Gomes (PDT-CE), baleado ontem após tentar invadir quartel tomado por policiais amotinados, o presidente evitou detalhes.

Cid discursou e chamou policiais de “bandidos”. Em seguida, dirigiu-se ao quartel do 3º BPM. Ele avisou aos policiais que teriam cinco minutos para sair. Posteriormente, derrubou o portão do quartel com uma retroescavadeira, sendo baleado em seguida.

Cid Gomes foi levado ao Hospital do Coração de Sobral, onde passou por cirurgia e corre risco de morte.