IGP-M: saiba tudo sobre este índice e sua importância

Ana Paula Schuster
Colaborador do Torcedores

Crédito: Cropped image of business man sitting by the table in cafe and analyzing indicators on laptop computer

O IGP-M, Índice Geral de Preços do Mercado, é um indicador que mede a inflação da economia no país. Portanto, fornece uma informação importante não só para os investidores, mas para todos os cidadãos.

A inflação promove o aumento dos preços de todos os produtos e serviços. Então, ela age diretamente no seu poder de compra e no valor de seu dinheiro. Quanto mais alta for, mais desvalorizada a moeda é.

Atingir um patrimônio de R$ 100 mil é para poucos, saiba quais são as melhores atitudes e aplicações para multiplicá-lo

Neste artigo, entenda mais sobre o índice, como calcula-se, sua importância e aplicação em sua vida. Também veja qual a evolução dele ao longo dos últimos anos.

O que é IGP-M

IGP-M, Índice Geral de Preços, apresenta a variação de preços do mercado de acordo com a inflação. Ele diz respeito a todos os tipos de produtos, bens e serviços e é calculado pela Fundação Getúlio Vargas, a FGV.

A divulgação acontece mensalmente e tem como base os preços do dia 21 do mês anterior até o dia 20 do atual. Por exemplo, para apresentar o dado de janeiro, considera-se o período de:

  • 21 de dezembro de 2020;
  • Até 20 de janeiro de 2021.

Seu objetivo é monitorar e verificar a movimentação geral dos preços. Então, quanto maior forem os valores, maior é o índice. Bem como, se houver uma queda, ele também diminui.

Usos

Os investidores utilizam esse dado para verificar o quanto seu dinheiro vale. Já os cidadãos, podem analisar seu poder de compra. Considera-se como um indicador da macroeconomia do país.

Ele ainda é usado como referência para a correção de valores em contrato, para que os ajustes sejam feitos com base na inflação. Portanto, ele influencia:

  • Contas de energia elétrica;
  • Mensalidades escolares;
  • Planos de saúde;
  • Seguros;
  • Valores de aluguel.

O que é IGP-M acumulado

Além do IGP-M mensal existe o acumulado. Assim, ele é um cálculo do valor de cada mês durante um período. Então, usa-se para saber a alta ou baixa da inflação neste tempo.

É comum no mercado imobiliário, aliás, é a base para o reajuste anual dos aluguéis. Dessa forma, o aumento ou redução acontecem apenas uma vez, considerando os 12 meses.

E o IGP-M anual?

Da mesma forma que acontece o acumulado, anualmente também realizam um balanço com base no IGP-M. Dessa forma, utilizam os dados para os reajustes de contratos, produtos e serviços.

Origem do IGP-M

Em maio de 1989 o índice começou a ser calculado a pedido da Confederação Nacional das Instituições Financeiras, a CNF. Neste caso, o IGP-M surgiu pela necessidade das empresas de acompanhar as mudanças frequentes na inflação.

Na década de 80 já havia outros indicadores, mas não tinham tanta credibilidade ou independência no mercado. Assim, um contrato foi firmado com a Fundação Getúlio Vargas para que cuidassem destes dados.

IPCA

Há outro indicador com uma finalidade muito parecida, que é o IPCA, Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo. Mas, existem diferenças, como:

  • IPCA apresenta apenas os preços ao Consumidor;
  • IGP-M cobre também o atacado e custos de construção;
  • O IBGE realiza o IPCA.

Mesmo sendo parecidos, os investidores ainda apostam no índice da FGV, por apresentar um cenário mais amplo do mercado.

Metodologia utilizada no IGP-M

Para calcular o IGP-M, a FGV faz um balanço geral sob os indicadores do mercado e considera uma média aritmética ponderada de três índices:

  • IPA-M: Índice de Preços ao Produtor Amplo;
  • IPC-M: Índice de Preços ao Consumidor;
  • INCC-M: Índice Nacional do Custo da Construção.

Os pesos que eles possuem são diferentes no cálculo, sendo:

  • 60% do IPA-M;
  • 30% do IPC-M;
  • 10% do INCC-M.

IPA-M

Ele monitora os movimentos dos preços de produtores domésticos no atacado, válidos para itens industriais e agropecuários.

IPC-M

Mede o comportamento dos preços em todas as áreas que impactam diretamente no poder de compra do consumidor. Por exemplo:

  • Habitação;
  • Alimentação;
  • Vestuário;
  • Transporte;
  • Saúde;
  • Educação.

INCC-M

Este índice é coletado em sete capitais brasileiras e avalia o custo para construir uma moradia com mão de obra especializada.

Cálculo do IGP-M

Por fim, para que o IGP-M seja determinado considera-se as porcentagens dos outros índices, a partir do dia 21 do mês anterior até o dia 20 do atual.

Histórico do IGP-M

Confira, a seguir, o histórico do IGP-M referente aos anos de 2020 e 2021:

  • 01/2020: 0,48%;
  • 02/2020: 0,04%;
  • 03/2020: 1,24%;
  • 04/2020: 0,80%;
  • 05/2020: 0,28%;
  • 06/2020: 1,56%;
  • 07/2020: 2,23%;
  • 08/2020: 2,74%;
  • 09/2020: 4,34%;
  • 10/2020: 3,23%;
  • 11/2020: 3,28%;
  • 12/2020: 0,96%;
  • 01/2021: 2,58%;
  • 02/2021: 2,53%;
  • 03/2021: 2,94%.
  • 04/2021: 1,5%
  • 05/2021: 4,10%

Os próximos resultados serão divulgados pelo site oficial da FGV nas seguintes datas:

  • 29 de junho;
  • 29 de julho;
  • 30 de agosto;
  • 29 de setembro;
  • 28 de outubro;
  • 29 de novembro;
  • 29 de dezembro.

Relevância para o mercado

O IGP-M tem grande relevância para o mercado de investimentos, afinal, a partir dele é possível avaliar se um negócio é bom ou não. Então, sempre é consultado antes de as movimentações financeiras acontecerem.

Além disso, o índice é usado como suporte no setor imobiliário. Assim, é por meio dele que são feitas as correções de contrato de aluguel.

O setor de energia também usa o IGP-M para realizar seus reajustes. Aliás, outras empresas do ramo de educação e saúde estão adotando o índice para organizar as mudanças de valores.

Pontos positivos do IGP-M

Um dos principais pontos positivos do IGP-M é a facilidade dos dados, ou seja, ao apresentar a porcentagem já é possível que os investidores façam suas análises.

Além disso, por ser um índice mensal, os dados são recentes e permitem a análise do cenário atual. Então, o mercado é acompanhado conforme as mudanças acontecem, possibilitando tomadas de decisões mais assertivas.

Críticas ao IGP-M

Não é comum serem feitas críticas ao IGP-M. Aliás, a mais relevante aconteceu em 2002 e partiu do matemático José Vieira Dutra Sobrinho. No caso, ele discordava do uso do índice como referencial para reajustes de:

  • Aluguel;
  • Financiamentos imobiliários;
  • Títulos da dívida pública federal.

A crítica aconteceu pela grande diferença em relação a outros índices que também tratam deste assunto. Assim, seu estudo usa como comparativo o INPC, IPCA, IPC e o IVC (índice de custo de vida).

Evolução do IGP-M ao longo dos anos

Mensalmente acontece a publicação do IGP-M. Então, confira a evolução do índice no período de 01 de agosto de 1994 até 01 de outubro de 2020.

De modo geral, o índice teve grande elevação desde a sua criação. Aliás, isso pode ser percebido no dia a dia, com o aumento no valor de produtos, bens e serviços.

Onde é publicado o IGP-M

Devido a sua importância é natural que deseje acompanhar os resultados do IGP-M. Então, por ser elaborado pela Fundação Getúlio Vargas, basta acessar o site da instituição para encontrar a informação.

Para acessar o conteúdo você deve:

  • Abrir o site da FGV IBRE (Instituto Brasileiro de economia);
  • Clicar em “Estudos e pesquisas”;
  • Depois vá em índices de preços;
  • Por fim clique em IGP.

Além disso, na home do site é possível ver um gráfico com a movimentação do índice. Assim, rapidamente você tem acesso aos dados para realizar suas decisões.

O calendário com as próximas publicações já foi apresentado acima. Dessa forma, você sabe exatamente qual dia pode ver as mudanças no índice.

Notas técnicas

No site oficial ainda estão disponíveis as notas técnicas sobre o índice. Então, para acessar clique em outras publicações e depois no assunto de seu interesse. Assim, pode entender mais sobre a metodologia e as mudanças e melhoramentos no cálculo.

(Por Diego Dias)

Estude e compare seus investimentos em FIIs

Acesse esse material especial para avaliar resultados, performance e dividendos dos melhores FIIs no mercado