Commodities: entenda o que são e como investir neste mercado

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Unsplash

Milho e soja alcançando suas maiores altas em anos. Preço do boi gordo aumentando. Importações de matérias-primas subindo com a retomada da economia, especialmente a chinesa, pós-flexibilizações.

Diante destas notícias, o investidor pode enxergar prováveis altas para as ações das empresas diretamente impactadas pelos preços das commodities, como frigoríficos (BRFS3, BEEF3, JBSS3), Vale (VALE3), Petrobras (PETR4) etc.

Mas também pode se sentir atraído por investir diretamente em commodities via mercado futuro. Se este é o seu caso, acompanhe para entender como funciona o mercado destes produtos. Mas já fica o aviso: ele se destina a quem aguenta volatilidade e risco.

Perdeu a Money Week?
Todos os painéis estão disponíveis gratuitamente!

Quem pode investir em commodities?

Qualquer pessoa pode investir em commodities. É possível fazer a compra à vista do produto. Também fazer um investimento indireto, comprando ações dos produtores ou investindo em fundos multimercado com exposição em commodities. Ou é possível negociar contratos futuros na bolsa de valores.

As operações com contratos futuros acontecem no chamado Mercado Futuro da bolsa de valores (B3) e, para acessá-lo, basta utilizar o home broker da corretora escolhida, onde você deseja abrir sua conta. O funcionamento é basicamente como no mercado de ações.

NaEQI Investimentos, por exemplo, existem assessores especializados em investimentos em commodities. Segundo o assessor e sócio da empresa, Paulo Filipe de Souza, a procura por estes ativos vem aumentando recentemente, acompanhando a alta dos preços.

“O mercado de commodities é basicamente para dois tipos de investidores. Aqueles que gostam de especular, por estes serem ativos bem voláteis. E aqueles que têm algum tipo de envolvimento com o mercado físico das commodities, como produtores milho ou de soja, que usam o mercado futuro para proteger suas carteiras”, afirma.

O mercado de commodities é mais recomendado para aqueles investidores com mais experiência. Mas é repleto de investidores pessoas físicas. Segundo a B3, em setembro deste ano, 54% dos investidores em boi gordo e 67% dos investidores em milho foram pessoas físicas.

O que são commodities?

O termo em inglês commodity significa literalmente mercadoria.

Na prática, são commodities todas as matérias-primas essenciais à sociedade. Elas são produzidas em grande quantidade e não há diferenciação entre marcas. Isto quer dizer que o ouro de um país é o mesmo ouro de outro país. A soja brasileira é a mesma soja daquela produzida na China. Por isso o produto pode ser comercializado com preço igual no mercado.

A maioria dos negócios com commodities é realizada a termo, isto é, acerta-se o preço para pagamento e entrega da mercadoria em data futura.

O mercado futuro se baseia na previsão dos preços em dias, semanas ou meses. E tais previsões são transformadas em contratos.

Quais os tipos de commodities?

Quando se fala em commodities, o universo de produtos é grande. Há commodities agrícolas, ambientais, minerais e até financeiras. Confira exemplos:

  • Commodities agrícolas: soja, milho, café, algodão, biocombustíveis, boi gordo, frango, açúcar e trigo.
  • Commodities ambientais: água e madeira.
  • Commodities minerais: petróleo, etanol, ouro, gás natural e minérios.
  • Commodities financeiras: índices como o Ibovespa, títulos públicos do governo federal (Tesouro Direto) e moedas (euro, dólar etc).

Cuidados necessários

Todo contrato futuro tem validade, portanto o investidor deve ficar atento a isto.

Para participar do mercado futuro, o investidor precisa depositar uma margem, conforme exigido pela corretora, e que varia de contrato para contrato.

Todo dia, ocorre o ajuste diário. Isto significa que sua conta poderá ser debitada ou creditada. Mas, atenção: dependendo da variação do mercado, pode ser que sejam necessários aportes adicionais para manter a margem.

“Acompanhar o mercado de perto, bem como as oscilações de preço que acontecem em um curto período de tempo, pode ser um hábito necessário para o sucesso das suas operações neste ambiente”, afirma o educador financeiro André Bona.

Possibilidade de alavancagem

A alavancagem é comum no mercado futuro e costuma ser usada por investidores mais experientes.

Com a alavancagem, você pode investir apenas com uma margem de garantia, exigida pela corretora, sobre o valor do contrato e não o valor total.

Isto quer dizer que com pouco dinheiro você pode ter resultados sobre uma quantidade muito maior. Exemplo: você pode investir R$ 1 mil apenas em um contrato de R$ 30 mil de boi gordo. E receber 1% de lucro sobre os R$ 30 mil. Ou, em caso de prejuízo, arcar com 1% sobre os R$ 30 mil.

Vantagens das commodities

  • Diversificação: investir parte do patrimônio em commodities pode ser interessante como estratégia de diversificação, diluindo riscos.
  • Demanda garantida: por serem produtos consumidos no mundo inteiro e fundamentais, sempre haverá demanda por eles.
  • Possibilidade de alavancagem: no mercado futuro de commodities, você pode alavancar seus investimentos. Mas isto também significa riscos.

Desvantagens das commodities

  • Grande oscilação de preço: o mercado é bastante volátil.
  • Suscetível a questões de clima, economia e política.
  • Alavancagem: como dito, pode ser vantajosa ou não.