Entenda as estratégias da Coca-Cola (COCA34), BDR disponível na B3

Ana Paula Schuster
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Coca-cola COCA34

A Coca-Cola (COCA34) é uma das maiores e mais conhecidas empresas em todo o mundo. Mas, apesar de possuir um grande patrimônio, sofreu graves quedas em vendas e lucro com a pandemia de coronavírus.

Atingir um patrimônio de R$ 100 mil é para poucos, o que amplia o desafio de busca pelas melhores aplicações para multiplicá-lo

Com as vendas reduzidas, a companhia precisou adotar novas estratégias. Entre elas, a redução de seu portfólio, bem como investimentos e campanhas em aplicativos de entrega.

Acesse esse material especial para avaliar resultados, performance e dividendos dos melhores FIIs no mercado.

Entenda qual o cenário dos investidores da empresa e seus resultados. Além disso, conheça mais sobre a história e a origem da marca.

Conheça a Coca-Cola

A Coca-Cola é uma multinacional que fabrica e vende bebidas. O seu produto mais conhecido é o refrigerante que leva o nome da marca. Além disso, mais de 600 outros itens são comercializados pela empresa.

Você sabia que algumas das maiores oportunidades de ganhos da bolsa estão nas Small Caps? Quer saber mais sobre essas ações e como investir? 

Com sede nos Estados Unidos, ela está presente em mais de 200 países, entre eles, o Brasil.

Quer começar o dia bem-informado com as notícias que vão impactar o seu bolso? Clique aqui e assine a newsletter EQI HOJE!

A ação da empresa é uma das mais procuradas pelos investidores, devido aos bons resultados alcançados. No Brasil, é possível investir na Coca-Cola via BDRs – Brazilian Depositary Receipts, negociados na B3 sob o código COCA34.

Marcas

As principais marcas fabricadas pela Coca-Cola são:

  • Aquarius;
  • Burn;
  • Coca-cola;
  • Charrua;
  • Crystal;
  • Del Valle;
  • Diet Matte Leão;
  • Schweppes;
  • Fanta;
  • Guaraná Jesus;
  • Guarapan;
  • Ice Tea Leão;
  • Kapo;
  • Kuat;
  • Matte Leão;
  • Minute Maid;
  • Powerade;
  • Simba;
  • Sprite;
  • Tai.

Devido ao seu vasto portfólio, a empresa garante vendas em todo o mundo. Então, de refrigerantes a chás, possui produtos que atendem à demanda de um público diverso.

Valorização das ações da Coca-Cola (COCA34)

As ações da Coca-Cola (COCA34) não começaram bem em 2021. Aliás, dados registram uma queda de quase 7%. Isso se dá pela pandemia que impactou de forma direta nas vendas do produto.

Em fevereiro, a empresa anunciou que faria o desdobramento de seus BDRs no Brasil. Assim, cada ação corresponderia a seis papéis. O desdobramento é uma ação adotada para baratear o custo de cada papel individualmente, a fim de atingir um universo maior de investidores. Mas sem qualquer prejuízo para quem já é detentor do ativo.

Em março, a marca foi patrocinadora de um dos maiores torneios esportivos dos Estados Unidos, o NCAA. Dessa forma, seus comerciais e propagandas voltaram para a televisão, atraindo novamente o público e impactando as vendas – logo, atraindo mais investidores.

A consultoria britânica Brand Finance classifica a Coca-Cola como a marca e empresa mais forte dos Estados Unidos, apesar dos altos e baixos ao longo longo de uma longa história. Sendo assim, ela segue desbancando Disney, Apple e Amazon, só para citar outras bastante conhecidas e valiosas.

O valor da ação em 20 de março de 2020 era de R$ 32,58 já na mesma data porém nesse ano, elas custam R$ 46,28, logo um crescimento de 42,05%.

Desempenho no último balanço da Coca-Cola (COCA34)

Segundo o balanço apresentado em fevereiro, a Coca-Cola (COCA34) teve um lucro líquido US$ 1,46 bilhões no quatro trimestre de 2020. Mesmo sendo um valor alto, isso representa uma queda de 29% na comparação com os mais de US$ 2,04 na mesma época de 2019.

As ações tiveram um ganho de R$ 2,64, superando o previsto de R$ 2,36. Além disso, a empresa ainda teve uma perda de 5% em sua receita.

Com a divulgação do balanço e seus resultados financeiros, a ação da empresa teve um ganho de 2,01% no mercado estadunidense.

Em Wall Street, as ações da empresa tiveram recomendação elevada, com indicação de que os papéis tenham desempenho melhor do que o retorno do mercado neste ano.

Desempenho da Coca-Cola (COCA34) durante a pandemia

Coca-Cola (COCA34) é conhecida por ser boa pagadora de dividendos. Aliás, ela manteve, mesmo durante a pandemia, uma distribuição crescente de proventos, que vem sendo registrada já há 58 anos.

Segundo o relatório Brand Footprint, feito pela Kantar, a Coca foi o refrigerante mais consumido em 2020, isto pelo oitavo ano consecutivo. Isto mostra a representatividade e força da marca.

Mas, devido ao fechamento de muitos bares e restaurantes, a empresa precisou ampliar sua estratégia. Segundo dados, pelo menos 50% do consumo dos produtos da empresa aconteciam, até a pandemia, fora de casa. Ou seja, com o fechamento de muitos estabelecimentos, houve uma queda considerável em suas vendas.

No final de 2020, a empresa parou de produzir mais de 200 marcas. Por exemplo, a Tab, água de coco Zico e sucos Odwalla.

A estratégia dessa redução foi oferecer resultados melhores. Assim, ela focou em seus rótulos prioritários, como a própria Coca, a água saborizada AHA e o alcoólico Topo Chico.

James Quincey, CEO da marca, afirmou que este corte foi uma das principais estratégias de crescimento. Dessa forma, a empresa consegue liberar mais recursos para as bebidas que estão tendo melhor retorno.

Incremento das vendas online

Para suprir o prejuízo com a pandemia, a multinacional focou também nos canais de vendas online. Bem como em campanhas em aplicativos como o Ifood. Assim, descontos, promoções e selos de fidelidade foram utilizados.

No Brasil, a companhia lançou uma iniciativa que ajuda e beneficia microempreendedores com crédito. Também ofereceu uma ação de incentivo direta para empreendedores negros.

Em 2021, a empresa visa manter a redução de portfólio e focar nos produtos com mais saída.

Origem e história da Coca-Cola (COCA34)

A história da Coca-Cola começa em 1886, em Atlanta, nos Estados Unidos. Um farmacêutico criou um xarope contra má digestão à base de folhas de coca, cafeína e água. Assim, em 8 de maio, John S. Permberton deu origem à fórmula da bebida.

A comercialização do xarope acontecia na própria farmácia, onde Permberton misturava o produto com água com gás. Os clientes aprovaram a fórmula e passaram a demandar mais do produto.

O nome e o logotipo “Coca-Cola” são atribuídos a Frank Robinson, gerente da Pemberton Chemical Company. Assim surgiu a The Coca-Cola Company.

O que é preciso fazer para investir na Coca-Cola (COCA34)?

Até outubro de 2020, os BDRs eram restritos a instituições financeiras e pessoas com mais de R$ 1 milhão em investimentos – os chamados investidores qualificados. Agora, estão acessíveis a qualquer pessoa física.

Quem adquire um BDR está, indiretamente, participando de uma empresa no exterior, e terá direito aos dividendos distribuídos pela companhia lá fora.

Funciona mais ou menos como um fundo de investimento. O investidor não vira o dono da ação, portanto não é sócio da empresa em questão.

Para comercializar um BDR, a instituição emissora do papel adquire várias ações de empresas estrangeiras. Depois monta um “pacote” e vende partes dele aos investidores. Logo, esses títulos são como cotas.

Para adquirir BDRs, o investidor precisa procurar um banco ou uma corretora de valores autorizados pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Um dos principais exercícios para a compra de uma ação é saber se ela está cara ou barata. Para isso, preparamos um material especial para ajudá-lo nesta análise.