Eneva (ENEV3) precifica debêntures e pode captar até R$ 947,9 milhões

Felipe Moreira
Especialista em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 7 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Reprodução/ Eneva

A Eneva (ENEV3) anunciou nesta sexta-feira (18) que poderá captar até R$ 947,9 milhões no âmbito da 6ª emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações, da espécie quirografária, em 2 séries.

Inicialmente, a companhia pretendia captar R$ 835 milhões, conforme comunicado divulgado em 24 de agosto de 2020.

Ou seja, acréscimo de R$ 112,9 milhões relativos às debêntures adicionais.

Confira principais Ações para investir em Outubro

O processo de coleta de intenções de investimento foi concluído em 16 de setembro de 2020.

As debêntures terão vencimento em setembro de 2030 e 2035.

Os recursos líquidos obtidos pela Eneva com as debêntures da primeira série serão utilizados para investimentos e pagamentos futuros relativos à execução do projeto de investimento na área de infraestrutura de gás natural denominado Parque dos Gaviões – Bacia do Parnaíba, que foi enquadrado pelo Ministério das Minas e Energia como prioritário.

As debêntures da segunda série serão caracterizadas como “debêntures com adicionalidade ambiental e climática”, com base em desempenho socioambiental satisfatório avaliado por consultoria especializada (SITAWI Finanças do Bem) em parecer independente.

A Eneva ainda fechou parceria com a XP investimentos, com o objetivo de apresentar mecanismos de incentivos ao mercado secundário das debêntures, bem como o detalhamento de planos para o provimento de liquidez às debêntures.

Fras-le (FRAS3) registra aumento de 35% na receita líquida em agosto

A Fras-le apresentou uma receita líquida de R$ 139,6 milhões em agosto de 2020.

Isso representa uma elevação de 35,2% na comparação com o mesmo período de 2019.

Já no acumulado do ano até agosto, a receita líquida atingiu R$ 889,4 milhões, queda de 0,6%.

A receita bruta em agosto ficou em R$ 199 milhões, alta de 27,5% em relação à agosto de 2019.

No acumulado de 2020, a receita bruta totalizou R$ 1284,9 milhões, recuo de 0,7%.