Energisa (ENGI11) lucra 6,3% a menos no 3TRI21

Carla Carvalho
Graduada em Ciências Contábeis pela UFRGS, pós-graduada em Finanças pela UNISINOS/RS. Experiência de 17 anos no mercado financeiro, produtora de conteúdo de finanças e economia.

Crédito: Pixabay

A Energisa (ENGI11) reportou lucro líquido de R$ 863,9 milhões no terceiro trimestre de 2021. O valor representa uma queda de 6,3% no comparativo anual.

Já no acumulado de 2021, o lucro líquido foi de R$ 2,4 bilhões, 75% acima do resultado do mesmo período do ano passado.

Veja o balanço da empresa na íntegra.

Energisa (ENGI11): principais números do 3TRI21

Lucro líquido

Lucro líquido 3TRI21: R$ 863,9 milhões

Lucro líquido 3TRI20: R$ 921,7 milhões

EBITDA ajustado

EBITDA ajustado 3TRI21: R$ 1,8 bilhão

EBITDA ajustado 3TRI20: R$ 1,3 bilhão

Receita líquida

Receita líquida 3TRI21: R$ 6,6 bilhões

Receita líquida 3TRI20: R$ 4,3 bilhões

Receita líquida cresce 53,5% no 3TRI21

No acumulado do ano, a receita líquida foi de R$ 17,3 bilhões, um crescimento de 12,5% em relação aos primeiros nove meses de 2020. Segundo relatório, a receita líquida cresceu em todos os segmentos da empresa (residencial, industrial, comercial, rural e outras classes).

A venda de energia atingiu 9,1 GWh, um aumento de 2,4%. De acordo com a empresa, o aumento das flexibilizações sanitárias devido à vacinação e o clima seco, principalmente no Nordeste contribuíram para o aumento do consumo de energia.

EBITDA consolidado cresce 42%

Segundo o relatório do 3TRI21, o aumento do EBITDA deve-se, basicamente, a dois fatores:

– incremento da parcela B das distribuidoras, por causa do crescimento de mercad0, reajuste inflacionário e revisão tarifária e

– entrada em operação dos projetos de transmissão (EPA I, EPA II e EAM.

Além disso, as receitas de acréscimos moratórios também contribuíram para a melhora do indicador.

Dívida líquida cresce

Ao final de setembro de 2021, a dívida líquida da Energisa era de R$ 14,6 bilhões, contra R$ 13,9 bilhões no trimestre anterior. Já o custo médio da dívida bruta ficou em 8,38% ao ano e prazo médio de 4,1 anos.

Por sua vez, a relação dívida líquida / EBITDA ajustado ficou em 2,4 vezes, frente a 2,5 vezes no trimestre anterior e 3,3 vezes no comparativo anual. Já as contratações de financiamentos do grupo totalizaram R$ 5 bilhões no acumulado de 2021.