Energia, Magalu (MGLU3) e Nasdaq são apostas da Dahlia Capital

Osni Alves
Jornalista | osni.alves@euqueroinvestir.com

Crédito: Business News October 25, 2019 / 8:53 AM / Updated an hour ago S&P, Nasdaq futures inch up as Intel results ease trade worries Arjun Panchadar3 Min Read(Reuters) - S&P 500 and Nasdaq futures edged higher on Friday as robust earnings from Intel helped ease worries about the impact of an ongoing trade war on chipmakers, but underwhelming results from Amazon.com hit sentiment. Traders work on the floor of the New York Stock Exchange (NYSE) in New York City, NY, U.S. May 18, 2017. REUTERS/Brendan McDermid

A Dahlia Capital está posicionada em Bolsa norte-americana, tecnologia e energia. Essa é a aposta da gestora contra a crise do coronavírus, conforme a sócia Sara Delfim.

Isso porque esses setores devem sofrer menos e voltar mais rápido, tão logo a epidemia seja controlada. “Acreditamos que a economia dos EUA se recupere depressa”, disse.

Já o setor elétrico representa 12% da carteira da gestora, seguida de bancos e consumo. A grande aposta, porém, está na tecnologia, com Magazine Luiza e Nasdaq.

“O dólar também é um bom pedaço da carteira, com ouro e juros”, frisou, acrescentando que a empresa mantém ativos diversificados.

Ela conversou com Luis Fernando Moran e Elias Wiggers, sócios da EQI Investimentos, na tarde desta quarta-feira (15).

Pré-crise

No período anterior à crise, a Dahlia estava fortemente posicionada em Bolsa brasileira, mas, tão logo o coronavírus mostrou sua força, a gestora alterou a estratégia.

“Essa não é a primeira e nem será a última crise do mundo. Entretanto, esse evento não tem um culpado que seja agente do mercado, como outras, mas é um inimigo oculto que atacou a todos por igual, tanto ricos quanto pobres”, destacou.

Em relação à crise financeira de 2008, proveniente dos grandes bancos dos EUA, o coronacrise fez o mercado cair mais e mais rápido.

“Porém, a gente vê a economia americana e brasileira melhor posicionada para enfrentar o Covid-19 por conta dos juros mais baixos e das reformas estruturais engatilhadas”, ressaltou.

Para ela, esse gatilho vai fortalecer o retorno pós-crise. “Certamente, o PIB vai cair muito e o mundo vai desacelerar ainda mais, mas, as economias estão mais preparadas e os bancos centrais mundiais vieram com uma bazuca de liquidez”, frisou.

De acordo com Sara, esse nível de estímulo só é comparável com as medidas adotadas na II Guerra Mundial.

mglu3_trandingview_acoes

Fonte: tradingview

A gestora

Conforme Sara, Dhalia é uma flor latino-americana bem perene, que sobrevive a qualquer clima e, por sorte, representa as iniciais dos principais sócios. A gestora foi fundada em janeiro de 2018 e as teses são discutidas de maneira colegiada.