Enauta (ENAT3) lucra 50% a mais no balanço do primeiro trimestre

Regiane Medeiros
Economista formada pela UFSC. Produz conteúdo na área de mercado de capitais, finanças pessoais e atualidades.
1

Crédito: Divulgação

O lucro líquido da Enauta (ENAT3) subiu 50% no primeiro trimestre de 2020, na comparação com o mesmo período do ano passado, para R$ 76,8 milhões. No quarto trimestre de 2019, a empresa havia registrado lucro de R$ 102,1 milhões.

O Ebitdax (lucro antes do IR, contribuição social, resultado financeiro e despesas de amortização, mais despesas de exploração com poços secos ou sub-comerciais) para o primeiro trimestre de 2020 aumentou 53,8% na comparação anual, totalizando R$ 195,1 milhões.

Já na comparação com o trimestre anterior, houve recuo de 24,7% no Ebitdax.

A receita líquida da Enauta ficou em R$ 290,3 milhões no primeiro trimestre, um aumento de 40% sobre o valor visto um ano antes.

Segundo a companhia “a receita proveniente de Atlanta subindo para 94% mais do que compensou a queda de 32% na receita de Manati. Dessa forma, a receita líquida do Campo de Atlanta representou 79% do total da receita do período.

Na comparação com o trimestre anterior, houve uma queda de 28,2% na receita líquida.

No primeiro trimestre de 2020, o resultado financeiro foi positivo em R$ 47 milhões, comparado a um resultado de R$ 23,8 milhões no primeiro trimestre de 2019, em função do impacto positivo da desvalorização cambial sobre o fundo de abandono do Campo de Manati, disse a companhia.

Posição de caixa e Endividamento

O endividamento total em 31 de março de 2020 era de R$ 240,9 milhões, comparado a R$281 milhões no mesmo período do ano anterior.

Também no primeiro trimestre de 2020, a Companhia registrou saldo de caixa e equivalentes de caixa de R$ 1,9 bilhão, 5,8% inferior a igual período de 2019, mas 9,5% superior ao saldo registrado em 31 de dezembro de 2019.

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

De acordo com a Enauta, a redução anual reflete o pagamento de R$ 500 milhões em dividendos em maio de 2019.

Impactos Covid-19

O primeiro trimestre de 2020 registrou a maior queda trimestral do preço petróleo na história: o Brent perdeu 66% do valor no período e encerrou o mês de março cotado a US$ 22,74 por barril.

Segundo a companhia,  esse desempenho “se deve a uma combinação de choques simultâneos oferta e demanda”. Pelo lado da demanda, ocorreu um forte desaquecimento devido a intensa redução no consumo do petróleo em função das políticas para combate à disseminação da Covid-19.

Já pelo lado da oferta o que houve foi uma falta de acordo entre os países membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e países aliados (Opep+) para ampliar os cortes na produção, em um cenário de queda da demanda ocasionado pela Covid-19.

A companhia informou ainda, no balanço divulgado nesta quinta-feira (14) que em Manati a produção está suspensa desde fevereiro.

Para os próximos trimestres, a Enauta mantém estimativa de produzir em média 28 mil barris de óleo por dia, próxima ao limite da capacidade máxima de processamento,que é 30 mil barris por dia.