Empréstimos podres levam bancos a provisionar US$ 66 bi

Osni Alves
Jornalista | osni.alves@euqueroinvestir.com

Crédito: Crédito da imagem: Banco de Imagens EnvatoElements/By Rawpixel

O temor quanto a um calote generalizado acendeu a luz vermelha entre os grandes bancos internacionais e fez as instituições financeiras provisionarem 66 bilhões de dólares.

Eles consideram que haverá um aumento gradual no volume de empréstimos podres decorrentes dos efeitos da crise do coronavírus na economia e no mercado de trabalho.

Os créditos podres viram dinheiro na mão das empresas especializadas em cobrança, que no mercado são conhecidas como fundos abutre.

Elas negociam os empréstimos com descontos bastante elevados em relação ao valor nominal da carteira. Dependendo da negociação, o desconto pode chegar a até 70%.

Para se ter ideia, somente nos EUA os principais bancos reservaram 26 bilhões de dólares para lidar com o problema.

Na sequência, os bancos europeus provisionaram 11,5 bilhões de dólares. Alguns deles também estão mais expostos em áreas como dívida com cartão de crédito e empréstimos a empresas de óleo e gás.

Estima-se que as instituições bancárias brasileiras tenham reservado cerca de R$ 26 bilhões, entretanto, o segmento no Brasil não está contabilizado com EUA e Europa.

Na zona do euro, a iniciativa partiu do Banco Central Europeu (BCE) que pediu às demais instituições que evitem aumento acentuado das perdas.

Isso porque as companhias na zona do euro ainda dependem amplamente de empréstimos bancários e não do mercado de capitais para se financiar.

Por conta disso, o BCE recomendou flexibilidade na aplicação dos padrões contábeis, reconhecendo a fraqueza relativa e a importância sistêmica do segmento.

Assim, inúmeros bancos da zona do euro reduziram empréstimos à cadeia de petróleo, que tem sofrido bastante nas ultimas semanas com excesso de estoques e preços em baixa.

Ainda na zona do euro, os governos também aderiram à flexibilização e concederam aos bancos amplas garantias e maiores prazos para o pagamento de empréstimos.