Empresas bilionárias resolvem parar de pagar aluguel durante crise do coronavírus na Alemanha

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: Divulgação

A crise de coronavírus chegou às grandes empresas na Alemanha. Ou pelo menos é isso que duas gigantes que têm negócios no país, a Adidas e a H&M, estão alegando, segundo a revista Der Spiegel e o jornal Bild.

Ambas revoltaram parte da população ao informar, por meio de comunicados, que deixarão de pagar aluguel dos imóveis em que suas lojas estão situadas enquanto durar a ordem de fechamento do comércio para conter a propagação da Covid-19.

A Der Spiegel publicou que um porta-voz da marca sueca H&M “na última semana informou seus locadores na Alemanha, que o pagamento [dos aluguéis] será suspenso até a situação [da paralisação devido ao coronavírus] se esclarecer”.

A H&M também teria avisado os proprietários de lojas no Reino Unido que terá de cortar empregos e fechar lojas definitivamente.

A Adidas, também por meio de um porta-voz da marca, teve atitude semelhante, mas em comunicado para o jornal Bild, reproduzido pela AFP.

“Está certo que a Adidas, assim como outras muitas empresas, vai suspender o pagamento de aluguéis temporariamente, onde nossas lojas estiverem fechadas”, diz trecho da nota.

Decepção e mau exemplo

Andreas Scheuer, ministro do Transporte da Alemanha, resumiu o sentimento do governo e de parte da população com as empresas após os comunicados.

“Estou decepcionado com a Adidas. Estou muito decepcionado. Não são apenas as grandes imobiliárias que alugam para a Adidas, mas também pequenos proprietários, e eles terão que assumir esse custo”, disparou.

Na visão de Scheuer, um dos papéis das grandes empresas é justamente o de dar exemplo às parcelas menos favorecidas da população em meio às crises como a atual, causada pelo coronavírus.

“Queremos dizer aos cidadãos que sejam sensatos, mas para isso as grandes corporações também precisam ser”.

Bilhões e bilhões

Ao contrário do que poderá ocorrer com pequenos e médios negócios que estão paralisados por conta da pandemia de coronavírus, a Adidas e a H&M dificilmente sofrerão perdas significativas enquanto estiverem fechadas.

A H&M tem mais de 5 mil lojas espalhadas pelo planeta e faturamento bilionário. A Adidas, segundo a AFP, teve um lucro líquido de 2 bilhões de euros somente em 2019, apesar do baque provocado pela queda de vendas para a China.

Além das duas gigantes, outras empresas também estão flertando com a possibilidade de parar de pagar aluguéis por um período, de acordo com a AFP: Puma, MediaMarkt e Saturn.

FMI alerta que recessão pode ser mais aguda que a de 2008

Empresários do varejo ameaçam demitir 600 mil se isolamento for mantido