Empresa de carros elétricos apoiada por Warren Buffett vende mais que rivais

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Flickr

A montadora chinesa BYD, apoiada pelo bilionário Warren Buffett, está vendendo muito mais sedãs elétricos de luxo por mês do que as principais start-ups do país, embora as vendas de carros elétricos de passageiros tenham caído 11% no ano passado.

A empresa disse que seu novo sedã elétrico de luxo, o Han, aumentou as vendas sucessivamente nos últimos meses e ultrapassou 10.000 unidades vendidas em novembro de 2020, diz a CNBC.

Assim, o modelo Han sozinho está vendendo tão bem, ou melhor, do que os veículos das start-ups de carros elétricos das concorrentes China Nio, Li Auto e Xpeng.

Apesar disso, as vendas gerais de carros de passageiros elétricos movidos a bateria da BYD caíram 11% em 2020 para 130.970 unidades. Já as vendas globais, inclusive de veículos comerciais e movidos a óleo, caíram 7,46%.

Mas em dezembro as vendas melhoraram, com as de veículos elétricos híbridos movidos a bateria e plug-in subindo mais de 150% em relação ao mesmo mês de 2019 – para 27.594 unidades.

Desde julho, quando foi lançado, as vendas do carro elétrico Han da BYD aumentaram mês a mês, ultrapassando as 10.000 unidades em novembro. Os números de dezembro ainda não foram divulgados pela empresa apoiada por Warren Buffett.

No fim de setembro, a BYD afirmou que entregou 4.000 unidades do Han em agosto, e que os pedidos ultrapassaram 40.000 na época. O veículo vem em versões elétricas puras e híbridas plug-in.

Nesses níveis de vendas, o modelo Han sozinho está vendendo tão bem quanto veículos elétricos da montadora chinesa Nio, e melhor do que outras start-ups Li Auto e Xpeng.

O melhor desempenho dos três concorrentes, Nio, disse que as entregas mais que dobraram no ano passado, para 43.728 veículos, com uma alta mensal de mais de 7.000 unidades em dezembro.

Ações de montadoras dispararam

Os dados divulgados pela BYD surgem em um cenário de maior interesse dos investidores em veículos elétricos.

As ações da Nio subiram mais de 1.400% nos últimos 12 meses.

Já a Xpeng, que tem o sedã P7 impulsionando o crescimento, teve uma valorização de 180% nas suas ações desde o IPO em agosto de 2020.

As ações da Li Auto subiram mais de 160% desde o IPO da montadora em julho de 2020.

As ações da BYD listadas em Hong Kong subiram bem mais de 400% nos últimos 12 meses.

A Tesla, que se juntou ao benchmark S&P500 em dezembro, viu suas ações subirem mais de 40% desde agosto de 2020.

Mas esses números das montadoras chinesas não chegam aos pés da montadora de Elon Musk, que está aumentando a produção na China. A Tesla disse que entregou 499.550 veículos globalmente em 2020, com um novo recorde trimestral de 180.570 veículos nos últimos três meses do ano passado.

  • Conheça a trajetória de Warren Buffet.

Warren Buffett investiu na BYD em 2008

O lendário investidor Warren Buffett começou a investir na BYD em 2008, quando a empresa começava a se arriscar em carros elétricos. No mesmo período a Tesla também começava a entrar no ramo, mas foi a chinesa que captou a atenção – e o dinheiro – de Buffett.

Buffett reafirmou sua aposta na BYD em 2020, quando foi fotografado usando uma máscara com o logo da fabricante chinesa.

Em setembro de 2008, Warren Buffett comprou 225 milhões de ações da BYD. Em dólares, o valor investido foi de US$ 230 milhões, por 9,89% da companhia.