Embraer pode perder venda bilateral a Irã; veja este e outros destaques

Osni Alves
Jornalista desde 2007. Passou por redações e empresas de comunicação em SC, RJ e MG. E-mail: oalvesj@gmail.com.
1

Crédito: Embraer embr3

A afinidade entre o governo Jair Bolsonaro e o governo de Donald Trump está sendo um empecilho para que a Embraer consiga comercializar jatos ao Irã.

Isso porque o país do Oriente Médio tem atrito com os EUA e sofre sanções.

A informação é do Valor Econômico, que acrescenta que a embaixada do Irã procurou recentemente o Palácio do Planalto e o ministério das Relações Exteriores para tratar do assunto.

Disputa pela Laureate 

Dois grupos de educação, o Ser Educacional e o Cruzeiro do Sul, que são concorrentes, têm interesse nos ativos brasileiros do Laureate.

Conforme o Valor, o negócio é avaliado entre R $ 3 bilhões e R $ 3,5 bilhões.

A Laureate International Universities é uma rede global de instituições acadêmicas privadas, e a operação brasileira do grupo detém 11 instituições de educação superior.

Algar e a Oi

Conforme o Valor, a mineira Algar surpreendeu ao reunir um arsenal financeiro de peso para sua proposta de operação móvel da Oi.

Além do acionista GIC Capital, que está disposto a capitalizar uma empresa para transações, a Algar se une ao fundo americano Colônia digital para transações

O negócio tem preço mínimo estabelecido pela Oi de R $ 15 bilhões.

Algar e a Oi

Fundeb amplia gastos em até R $ 8 bi

Com uma proposta de direcionamento de 5% da complementação ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) para gastos voltados à primeira infância, o governo amplia suas despesas em um montante entre R$ 7 bilhões e R$ 8 bilhões até 2026, sem consumir espaço no teto.

Isso ocorre porque o Fundeb está fora do limite constitucional de despesas que vigora desde 2017.

fundeb

Empresas querem indenização por paralisações na pandemia

De acordo com o Valor, empresas querem indenização por paralisações na pandemia.

Isso porque a crise do novo coronavírus estabeleceu uma verdadeira queda de braço entre seguradoras e empresários.

Essa querela diz respeito ao pagamento de lucros cessantes – indenização em caso de paralisação da atividade – um ponto do histórico de uso indevido que cria esse tipo de apólice.

Reforma tributária

O ministro da Economia , Paulo Guedes , apresentará hoje ao Congresso a primeira parte da sua proposta de reforma tributária.

O projeto unifica PIS e Cofins, dois tributos federais que incidem sobre o consumo e que são regulados atualmente por um código de regras que dificulta o pagamento por empresas e estimativas de disputas judiciais.

De acordo com a Folha de S. Paulo, a unificação de PIS e Cofins não compensa setores prejudicados por eventual aumento de tributação sob uma nova regra.

Isso porque uma decisão representa um retorno em estudos que vinham sendo feitos pela equipe econômica para aliviar áreas mais impactadas, como o setor de serviços.

O Valor destaca que a retomada das discussões sobre a agenda de reformas é uma indicação positiva do país que começa a sair do modo de crise.

Entretanto, o calendário deste ano com uma aproximação da disputa eleitoral deve fazer com que o debate se concentre apenas numa fase inicial da reforma.

paulo-guedes

 

Crise na Argentina e produção no Brasil

O Estadão informa que a crise na Argentina tem levado multinacionais, principalmente da cadeia automotiva, a direcionar parte de sua produção ao Brasil.

Flávio Bolsonaro

Em depoimento ao Ministério Público Federal (MPF), o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) negou ter recebido informações privilegiadas sobre a Operação Furna da Onça.

A operação movimentou transações financeiras atípicas nas contas do seu ex-assessor Fabrício Queiroz e o arrastou para o centro de investigação criminal sobre desvios de funcionários na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj).

Já a Folha informa que o advogado Rodrigo Roca, novo defensor do senador, atribuiu ao Ministério Público do Rio de Janeiro o atraso na conclusão de investigações sobre uma suposta “rachadinha” no antigo gabinete de seu cliente.

Brasilia - Senador Jose Serra, com a imprensa, durante reuniao da Executiva Nacional do PSDB (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agencia Brasil) (Brasilia - Senador Jose Serra, com a imprensa, durante reuniao da Executiva Nacional do PSDB (Fabio Rodrigue

Lava-Jato

A Polícia Federal e o Ministério Público Eleitoral de São Paulo deflagraram, na manhã desta terça (1), a operação Paralelo.

Trata-se da terceira fase da operação Lava Jato junto à Justiça Eleitoral de São Paulo – para investigar suposto caixa dois de R$ 5 milhões ao ex-governador José Serra (PSDB) na campanha de 2014.

À época, Serra foi eleito ao cargo que ocupa hoje no Senado Federal.

O principal alvo da ação é o empresário José Seripieri Jr, fundador e ex-presidente da Qualicorp.

Segundo a investigação, Seripieri teria feito doações ilegais a Serra em duas parcelas em 2014, de R$ 1 milhão e R$ 3 milhões

Covid-19

Na atualização diária do ministério da Saúde, divulgada no início da noite de ontem (20), consta que foram registradas 632 novas mortes por covid-19 entre domingo e segunda-feira, totalizando 80.120.

O balanço apresenta também 20.257 novos casos confirmados de covid-19 nas últimas 24 horas.

No total, 2.118.646 pessoas foram diagnosticadas com a covid-19 no Brasil desde o início da pandemia e 1.409.202 se recuperaram da doença.