Embraer (EMBR3) fecha acordo para suspensão de contratos e redução salarial

Regiane Medeiros
Economista formada pela UFSC. Produz conteúdo na área de mercado de capitais, finanças pessoais e atualidades.
1

Crédito: Wikipedia

Na última sexta-feira (10) a Embraer (EMBR3) informou que a maioria de seu quadro de trabalhadores aceitou a proposta de layoff (suspensão temporária dos contratos) sugerida pela companhia.

Com a medida, o grupo de trabalhadores com suspensão temporária do contrato terá garantia de emprego por período equivalente. Além disso, a Embraer vai arcar com 30% da remuneração desses funcionários, enquanto o governo vai pagar uma remuneração compensatória equivalente a 70% do seguro-desemprego ao qual teriam direito.

Já para os colaboradores que desempenharão suas atividades em home office haverá redução de 25% da jornada de trabalho pelo período de 90 dias. Ao mesmo tempo, a garantia de emprego será por período correspondente. Esses profissionais também terão direito ao auxílio do governo federal de até R$ 453.

Por fim, o grupo que seguir com o trabalho na fábrica não terá alteração na jornada nem nos salários

O acordo foi aceito pelo Sindicato dos Engenheiros de SP, Sindiaeroespacial e Sindicato dos Metalúrgicos de Botucatu, que juntos representam cerca de 16 mil funcionários da Embraer.

Em nota, a Companhia declarou que permanecerá “em contínuo diálogo com os clientes, fornecedores e governos para atender as necessidades essenciais do setor e da população”.

Apesar de manter as operações essenciais, a Embraer havia adotado férias coletivas para maior parte dos empregados.

As medidas adotadas frente a crise econômica provocada pelo novo coronavírus passam a valer a partir de segunda-feira (13).