Embraer (EMBR3) anuncia programa de demissão voluntária

Marco Antônio Lopes
Editor. Jornalista desde 1992, trabalhou na revista Playboy, abril.com, revista Homem Vogue, Grandes Guerras, Universo Masculino, jornal Meia Hora (SP e RJ) e no portal R7 (editor em Internacional, Home, Entretenimento, Esportes e Hora 7). Colaborador nas revistas Superinteressante, Nova, Placar e Quatro Rodas. Autor do livro Bruce Lee Definitivo (editora Conrad)

Crédito: Divulgação

A Embraer (EMBR3) anunciou nesta quinta (30) que está negociando com os sindicatos um plano de demissão voluntária.

De acordo com a empresa, além dos colaboradores em licença remunerada, também “serão elegíveis aposentados por tempo de serviço ou quem tiver 55 anos de idade ou mais.”

O período de adesão vai até o dia 14 de agosto, informa a empresa em comunicado.

Impacto da pandemia

A Embraer diz que o programa foi elaborado para minimizar o impacto da crise causada pela pandemia do novo coronavírus.

A empresa explica. “Para preservar os empregos já foram estabelecidas, desde o mês de março, medidas como implantação do trabalho remoto integral (home office)”.

E acrescenta: “[A companhia  decidiu pela concessão de férias coletivas, suspensão temporária dos contratos de trabalho (lay-off), redução da jornada de trabalho e um PDV para um grupo de colaboradores que estavam em licença remunerada.”

Proposta

Para os funcionários que decidirem aderir ao PDV, a Embraer “inclui plano de saúde para o colaborador e dependentes até janeiro de 2021, auxílio-alimentação de R$ 450 mensais pelo mesmo período, além de apoio para recolocação no mercado.”

“Verbas rescisórias comuns a desligamentos sem justa causa e mais uma indenização de 10% do salário-base nominal por ano de empresa” fazem parte também do programa.

“A companhia vai continuar realizando todos os esforços necessários para minimizar o impacto da Covid-19 para as pessoas e garantir a adequação necessária da empresa diante da nova realidade do mercado de transporte aéreo global”, conclui a nota.