Embalado por dados da China, Ibovespa fecha em alta firme de 1,52%

Omar Salles
null
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

O Ibovespa fechou com uma forte alta de 1,52% hoje, aos 118.478,30 pontos, atingindo a segunda melhor marca em pontos desde 3 de janeiro deste ano, quando ultrapassou os 18.500 pontos. O dólar recuou e a bolsa brasileira fechou perto da máxima histórica impulsionada, em parte, pelos dados positivos da China, maior parceira comercial do País.

Na madrugada de hoje, o governo chinês informou que o PIB da China cresceu 6,1% em 2019, praticamente o mesmo das projeções dos economistas; mas a expansão industrial de 6,9%, que veio um ponto porcentual acima do previsto, mostrou que a economia chinesa não desacelerou tão rápido. A maioria das bolsas de valores ao redor do mundo fechou hoje em alta.

Na B3, das 73 ações do índice, 58 fecharam em alta, 12 em baixa e três estáveis. O volume financeiro foi de R$ 20,6 bilhões. Na semana, o índice brasileiro acumulou alta de 2,58%; no ano, o avanço é de 2,45%.

Guia definitivo sobre Renda Variável  e os Melhores Investimentos para 2021

O dólar, que registrou um avanço expressivo nos últimos dias, rompendo a barreira de R$ 4,200,00 ontem, teve um recuo significativo hoje, fechando a R$ 4,1646 à vista, queda de 0,61%.

Ações

O papel com maior valorização no dia foi o do Bradespar (BRAP4), que avançou 4,30% para R$ 41,97. As ações da empresa de software Totvs (TOTS3) subiram R$ 3,62% para R$ 72,36. Entre os papéis que foram bem estão os das empresas aéreas, que tiveram quedas em sessões recentes afetadas pela crise no Irã. As ações da Gol (GOLL4) avançaram 3,52% para R$ 37,92; as da Azul (AZUL4) subiram 3,21% para 61,35. A notícia do crescimento chinês deu impulso às ações da Vale (VALE3), que avançaram 3,32% para R$ 57,00.

Entre as 12 ações que recuaram hoje, estão as da Cogna (COGN3), com -2,91% para R$ 11,67; da varejista Hering (HGTX3), com -1,55% para R$ 31,80; e da indústria de papel e celulose Suzano (SUZB3), com -1,17% para R$ 43,78.

Petróleo

O preço do petróleo operou sem grandes variações na sessão de hoje, apontando para uma estabilização após a crise no começo do ano no Oriente Médio. O preço futuro do WTI com entrega para fevereiro recuou 0,32% para US$ 58,34 na Nymex, enquanto o Brent para março caiu 0,06% para US$ 64,58. O ouro avançou 0,62% e fechou a US$ 1.560,30 a onça-troy.

Dólar

O dólar oscilou perto da estabilidade durante grande parte do dia, mas fechou em baixa de 0,61% no dólar à vista, cotado a R$ 4,164,60. O dólar futuro teve queda de 0,57% para R$ 4.165,00. Embora tenha caído hoje, a moeda americana acumulou alta de 1,63% na semana e avançou 3,50% no mês.

EUA

As bolsas americanas avançaram na jornada, em parte impulsionadas por alguns indicadores positivos, em parte pelo otimismo com a economia chinesa. Os índices S&P-500 e Nasdaq tiveram os maiores ganhos, enquanto o Dow Jones, que vinha de um patamar bem alto na semana, avançou 0,17%. O Dow Jones teve uma alta de 1,82% nesta semana.

Veja o desempenho dos mercados:

Ibovespa [+1,52%] | 118.478,30 pontos
Dólar futuro [-0,57%] | R$ 4,165,00.
Dow Jones 30 [+0,17%] | 29.297 pontos
S&P 500 [+0,34%] | 3.317 pontos
Nasdaq [+0,34%] | 9.357 pontos

(Com Wizir Research)