Em teste na China, medicamento previne tipo de coronavírus em macacos

Sabrina Oliveira
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Foto: Pixabay

Um estudo publicado na última quinta-feira (13), mostrou que um medicamento antiviral, chamado remdesivir, experimental da Gilead Sciences, pode prevenir e reduzir a gravidade dos sintomas em macacos infectados com Síndrome Respiratória do Oriente Médio (Mers), uma infecção semelhante ao coronavírus, que se iniciou na China e se propaga rapidamente. As informações são da Reuters.

Os resultados, publicados no Proceedings of the National Academy of Sciences, aumentaram as expectativas de que o medicamento remdesivir, que está atualmente em testes clínicos na China, consiga ser eficaz contra esse novo vírus, que já infectou cerca de 60.000 pessoas e mais de 1.300 pessoas morreram no mundo, quase todos na China.

A droga já havia demonstrado ser eficaz na proteção de macacos infectados com o Ebola, mas isso não foi testado em humanos. Desta vez, cientistas do instituto testaram o remdesivir em macacos 24 horas antes da infecção pelo vírus Mers e em outros macacos 12 horas antes da infecção, o intervalo de tempo em macacos quando o vírus atingiu seu pico de atividade.

Conheça planilha que irá te ajudar em análises para escolha do melhor Fundo Imobiliário em 2021

Os resultados foram comparados com macacos não tratados no grupo controle. Após seis dias, todos os animais não tratados ficaram doentes.

O medicamento parece prevenir a doença em macacos tratados antes da infecção. Os animais deste grupo não mostraram sinais de infecção, reduziram significativamente os níveis de vírus e nenhuma lesão pulmonar.

Os cientistas concluíram que aqueles que foram tratados após a infecção também tiveram um desempenho melhor que o grupo controle, com uma condição mais branda, níveis mais baixos de vírus do pulmão e menos danos nos pulmões.