Eletrobras (ELET6) opera em alta com notícia de privatização

Felipe Moreira
Especialista em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 7 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

O fato do ministro da Economia, Paulo Guedes, ter dado como certa a privatização da Eletrobras (ELET6, ELET3), faz os papéis liderarem os ganhos do Ibovespa, nesta manhã de segunda-feira (26).

Segundo o jornal “O Globo”, o ministro disse a interlocutores que a privatização da estatal já está acertada no Senado Federal.

Por volta das 11h15, a ação da Eletrobras (ELET6) subia 4,65%.

BDRs| Aprenda mais sobre essa classe de Ativos

Outro destaque positivo é a Cielo (CIEL3), com alta de 5,33%. A alta reflete expectativas sobre a divulgação de seu balanço do terceiro trimestre, que sai amanhã (27).

O IRB (IRBR3) sobe 3,2% após firmar parceria com a B3 (B3SA3) +1,57% para viabilizar uma plataforma que conecte corretores, seguradoras e resseguradoras.

A Hypera (HYPE3) registra alta de 1,94% depois de reportar lucro líquido de R$ 345,6 milhões no terceiro trimestre, desempenho acima da expectativa. Já a Klabin (KLBN11) que teve prejuízo de R$ 191 milhões no terceiro trimestre, sobe 0,87%.

Os bancos dão continuidade a tendência de alta registrada na semana passada, por causa das expectativas de melhora nos resultados do terceiro trimestre. Itaú (ITUB4) +0,86%, Santander (SANB11) +1,93%, Bradesco (BBDC4) + 0,97% e Banco do Brasil (BBAS3) +0,15%.

Baixas da bolsa

O setor de turismo cai em bloco devido o aumento das preocupações com uma segunda onda de contaminação na Europa. Azul (AZUL4) recua 3,43%, Gol (GOLL4) cai 3,51% e CVC (CVCB3) perde 2,26%.

BRF (BRFS3) chegou a um acordo para encerrar uma ação coletiva movida contra a companhia no Tribunal Distrital Federal dos EUA, em Nova York.

O acordo foi referente à terceira fase da operação Carne Fraca, que apontou um esquema fraudulento na companhia. A ação recua 2,55%.

As ações de BR Malls (BRML3), Multiplan (MULT3) e Iguatemi (IGTA3) recuam 1,17%, 1,70% e 0,90%, respectivamente.

Em relatório, o BTG (BPCA11) escreveu que espera outro trimestre fraco para os shoppings, mas ressalta que as coisas estão melhorando. A pandemia do novo coronavírus prejudicou os resultados do terceiro trimestre deste ano, mas setembro foi muito melhor do que julho.

Mais destaques

A Track & Field (TFCO3) estreia na bolsa com alta de 0,32%. A oferta saiu a R$ 9,25 por ação, abaixo da faixa indicativa de preço de R$ 10,65 a R$ 14,95.

As ações da Marfrig (MRFG3) avançam 1,5% depois da companhia ser autorizada a retomar venda de carne bovina para China.

A Vale (VALE3) opera perto da estabilidade (-0,24%). A mineradora passa a ter controle difuso a partir de novembro.

Já o BTG Pactual (BPAC11) comprou a Necton Investimentos por R$ 350 milhões, em negócio anunciado nesta segunda-feira.

A Necton tem mais de 40 mil clientes e mais de R$ 16 bilhões em ativos sob custódia. As ações do BTG avançam 0,21%.

As ações da Notre Dame Intermédica (GNID3) reagem bem na bolsa à informação de mais uma aquisição. Desta vez, é o Hospital e Maternidade Santa Brígida, em Curitiba. Os papéis sobem  2,28%, perto das 14h, enquanto o Ibovespa tem queda de 0,84%.

A ação da Arezzo (ARZZ3) fechou o último pregão com alta de 16,04% por causa do anúncio de aquisição do grupo de moda carioca Reserva. O acordo foi aprovado pelo Conselho de Administração da companhia.

Conforme o Valor, outro alvo da empresa deve ser a Amaro, varejista on-line de moda. Mas neste caso deve haver uma disputa com o grupo Soma (SOMA3).

Hoje, a ação da Arezzo avança 3,46%.

Azul (AZUL4) tem queda de 1,08%, após informar que pretende emitir R$ 1,6 bilhão em debêntures.

As ações da Linx (LINX3) recuam 1,81% nesta segunda-feira (26), em meio à discussão sobre multa à potencial compradora da empresa, a Stone, caso desista de aderir ao Novo Mercado da B3.