Eleições nos EUA: pré-candidatos democratas à Presidência miram críticas a Bloomberg

Rebeca Torres
null

Crédito: Gage Skidmore / Wikimedia

Os pré-candidatos democratas à presidência dos EUA fizeram duras críticas a um concorrente. Ele é Michael Bloomberg, o ex-prefeito de Nova York. As informações são da Agência Reuters.

Joe Biden, ex-vice-presidente, e a senadora Elizabeth Warren de Massachusetts, que não foram muito bem em suas campanhas e ficaram para trás nas primeiras votações, em Iowa e New Hampshire, criticaram Bloomberg dizendo que empreendeu uma política de segurança frágil na maior cidade dos EUA e por ter feito comentários maldosos sobre uma prática hipotecária em tom um pouco discriminatório.

Apesar de ter entrado depois na corrida para presidência, Bloomberg conseguiu chamar a atenção de milhares de eleitores na Carolina do Norte, um dos 14 estados que participarão da próxima prévia chamada de Super Terça – marcada para acontecer no dia 3 de março, quando ele deverá se consolidar de fato como candidato.

Conheça planilha que irá te ajudar em análises para escolha do melhor Fundo Imobiliário em 2021

Os concorrentes dizem que Bloomberg, um empreendedor bilionário, pode ficar à frente na preferência dos eleitores por ter estilo semelhante ao republicano, Donald Trump. É rico, debochado, polêmico e famoso.

De olho em Bloomberg

Biden diz que pretende pressionar Bloomberg sobre seu histórico sobre críticas raciais. Warren lembra que o ex-prefeito de Nova York orienta suas políticas públicas de habitação de maneira discriminatória.

Em entrevista ao programa “The View”, da rede americana ABC, Biden se justificou: “Terei a chance de debater com ele sobre tudo”.

Opiniões e confrontos

Bloomberg ainda não se inscreveu para participar da prévia eleitoral em Nevada no próximo dia 19 de fevereiro, pouco antes da votação por indicação do Estado, marcada para dia 22 de fevereiro. Nem para Carolina do Sul, no próximo dia 29 de fevereiro.

Warren também fez ataques a Bloomberg sobre suas opiniões do passado.

Sobre isso, a pré-candidata tuitou: “Precisamos confrontá-lo sobre o legado vergonhoso da discriminação, e não mentir sobre isso, como Mike Bloomberg, já fez”.

Já a campanha da candidatura de Bloomberg preferiu não falar a respeito dos comentários negativos de Warren e Biden