Eduardo Bolsonaro acusa China de esconder informações sobre pandemia de coronavírus

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O deputado Eduardo Bolsonaro, filho do presidente da República, conseguiu estremecer as relações entre o Brasil e a China, maior parceira comercial do País, em meio à pandemia de coronavírus.

De acordo com informações da Reuters, Eduardo, que também ocupa o cargo de presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara, fez graves acusações aos chineses em relação ao surto da Covid-19.

“Mais uma vez uma ditadura preferiu esconder algo grave a expor, tendo desgaste, mas que salvaria inúmeras vidas. A culpa é da China e liberdade seria a solução”, disse o deputado, por meio de um post no Twitter.

A embaixada chinesa respondeu de forma dura às críticas do filho de Jair Bolsonaro e mostrou que não gostou do comportamento do deputado.

“Aconselhamos que não corra para ser o porta-voz dos EUA no Brasil ou vai tropeçar feio”, disparou Yang Wanming, porta-voz da China no Brasil.

Wanming disse ainda que Eduardo Bolsonaro “é uma pessoa sem visão internacional nem senso comum, sem conhecer a China e o mundo”.

Desculpas oficiais

O representante da China no Brasil marcou em sua resposta o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo. E avisou que espera desculpas imediatas e oficiais de Eduardo Bolsonaro.

Segundo Wanming, as declarações do deputado “vão ferir a relação amistosa entre China e Brasil e, por isso, ele precisa assumir todas as consequências”.

A embaixada chinesa pegou ainda mais pesado em sua conta no Twitter. A postagem afirmou que Eduardo, infelizmente, “contraiu vírus mental em sua viagem aos Estados Unidos” e que, agora, “está infectando a amizade entre os dois povos”.

Trump também causou mal-estar com a China

Eduardo Bolsonaro não foi o único a criar uma saia-justa com a China por causa do coronavírus.

Recentemente, o presidente norte-americano Donald Trump, de quem a família Bolsonaro é fã declarada, fez um pronunciamento que desagradou os asiáticos.

Trump se referiu ao coronavírus como “vírus chinês” e defendeu o uso do termo no Twitter.

“O vírus veio da China. Acho que esta é uma fórmula muito precisa”, disse Trump.

“A China difunde informações erradas de que nosso exército teria transmitido o vírus. Em vez de me meter em polêmica, disse: chamarei ele usando o país de onde vem”.

Coronavírus: China fica um dia sem transmissão local pela primeira vez

Coronavírus: As medidas do governo para combater a Covid-19