Economia alemã registrou menor crescimento anual desde 2013

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: Créditos: Boris Streubel / Getty Images

O Destatis, departamento federal de estatísticas da Alemanha, informou nesta quarta-feira (15), que o crescimento da economia do país em 2019 ficou em apenas 0,6%.

O índice dos últimos 12 meses foi o pior crescimento anual registrado desde 2013 na Alemanha, bem abaixo do 1,5% apresentados em 2018 e ainda mais longe dos 2,2% registrados em 2017.

De acordo com Albert Braakmann, responsável pelas estatísticas do Destatis, o comportamento da economia alemã em 2019 foi afetado por uma série de fatores externos.

As guerras comerciais, principalmente entre China e Estados Unidos, a discussão envolvendo o Brexit, e a crise no setor automotivo, um dos principais motores da economia germânica, foram citados pelo executivo.

Com esse cenário desfavorável, as exportações do país aumentaram somente 0,9% em relação a 2018, enquanto as importações apresentaram uma queda de 1,9% quando comparadas ao mesmo período.

Consumo interno “salvou”

Apesar do baixo crescimento, a Alemanha se salvou da “recessão”, quando o país não registra números positivos no fim do período, por conta do consumo interno.

Em números puros, a Alemanha contabilizou, somando-se governo federal, estados e municípios, um superávit de 49,8 bilhões de euros em 2019, equivalente a 1,5% do PIB.

Em 2018 a soma havia alcançado 1,9% do PIB ou, em dinheiro vivo, o equivalente a 62,4 bilhões de euros.

O relatório do Destatis registrou alta de 1,6% no setor e de 3,8% na construção civil. Esses dois pontos fizeram a Alemanha fechar a “década dourada”, com crescimento da economia em 10 anos consecutivos.