Dólar perto de R$ 6: que ações podem se valorizar?

Felipe Moreira
Felipe Moreira é Graduado em Administração de empresas e pós-graduado em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 6 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Reprodução/Unsplash

O dólar vem se valorizando muito ao longo dos últimos meses, aproximando-se da casa dos seis reais. O movimento para cima acontece por diversos fatores.

Seja em virtude das incertezas derivadas da pandemia do novo coronavírus ou por questões políticas.

A moeda norte-americana continua sendo o porto seguro dos investidores. Este é um dos principais motivos do dólar ter avançando tanto.

Diante disso, surge a dúvida em quais ações devo investir para lucrar com a subida do dólar. Sendo assim, conversei com assessora de Investimentos da EQI, Clara Sodré.

Para Sodré, as ações que mais se beneficiam da moeda americana perto dos R$ 6,00, são as empresas que possuem a maior parte das receitas em dólar, como as empresas exportadoras. Isso faz com que elas acabem ganhando com alta do câmbio.

Além disso, Clara Sodré destaca o caso de companhias que têm seus ativos cotados na divisa norte-americana, o que faz suas ações valorizarem com a subida do dólar.

Para exemplificar, a assessora citou as empresas do setor de papel e celulose. Pois, o preço da celulose é cotado em dólar. Dessa forma, a alta da moeda americana favorece ainda mais os seus negócios.

Setores prejudicados

Se companhias com receita em dólar são beneficiadas, empresas com custos e dívidas na moeda americana são afetadas negativamente pela valorização da moeda.

Conforme Sodré, essas empresas já começaram a sofrer com essa alta. Um setor que sofre bastante com alta da moeda americana é o de turismo.

Com o dólar em alta, os destinos internacionais ficam mais caros. Limita o turismo internacional, prejudicando as receitas das empresas. Importante lembrar que essas companhias já haviam sido afetada pela pandemia.

Sodré ainda ressalta o caso das empresas que dependem de insumos importados, elas precisam diminuir a produção pra se adequar a nova realidade de preços.

“Então, todas as empresas que têm custos e dívidas em dólar acabam sofrendo mais com essa alta do câmbio”, frisou.

Dólar x Bolsa

De acordo com Sodré, não existe uma garantia de que alta da moeda norte-americana vai gerar uma queda na bolsa ou vice e versa, já que são vários fatores que influenciam no câmbio.

“Mas existe uma correlação negativa entre a bolsa e a divisa norte-americana” afirmou.

“Um exemplo disso é que um cenário otimista costuma atrair investidores estrangeiros. Isso aumenta a demanda do real, que acaba trazendo a valorização frente ao dólar”, explicou Sodré.

“Por outro lado, em um cenário de incertezas, os investidores preferem vender as ações e voltar para o dólar, por ser uma moeda forte. Isso faz com que a Bolsa caia e a moeda americana aumente, então na maioria das vezes, quando está tendo esse tipo movimento é correlação negativa”, finalizou Clara Sodré.

LEIA MAIS

Os benefícios de se ter um assessor de investimentos

Dívidas de empresas saltam em dólar, mas sem efeito caixa