Dólar sobe 0,55% em dia de aversão global ao risco

Felipe Moreira
Editor na EuQueroInvestir, cobre temas que vão desde o mercado de ações ao ambiente econômico nacional e internacional.
1

O dólar fechou em alta de 0,55%, cotado a R$ 5,5958, nesta sexta-feira (26). A moeda oscilou entre a máxima de R$ 5,6629 e a mínima de R$ 5,5728.

A moeda subiu em dia de aversão global após a descoberta de uma variante possivelmente resistente a vacinas, e em meio ao recrudescimento da pandemia, especialmente na Europa.

  • segunda-feira (22): -0,27% a R$ 5,59
  • terça-feira (23): 0,27%, a R$ 5,60
  • quarta-feira (24): -0,25%, a R$ 5,59
  • quinta-feira (25): -0,53%, a R$ 5,565
  • sexta-feira (26): +0,55%, a R$ 5,595
  • semana: -0,23%

Cenário

Índice de Confiança da Indústria, da FGV, recuou 3,1 pontos em novembro, para 102,1 pontos, menor nível desde agosto de 2021 (98,7 pontos). Essa é a quarta queda consecutiva do índice.

O Banco Central divulgou que o estoque de crédito total subiu 1,5% em outubro ante setembro, para R$ 4,497 trilhões. As concessões no crédito livre caíram 1,2%. A participação do crédito no Produto Interno Bruto (PIB) alcança 53,2% em outubro, menor que os 53% de setembro.

Ontem, a Câmara dos Deputados aprovou o Auxílio Brasil. A PEC dos Precatórios, que deve ser a fonte de pagamento do benefício, aguarda votação na CCJ do Senado e, depois, apreciação pelo plenário. A expectativa é que isso ocorra na semana que vem.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estuda declarar a nova cepa como uma “variante de preocupação”. Isso porque cientistas vêm afirmando que ela possui um alto número de mutações, que podem torná-la mais transmissível e permitir que ela não responda às vacinas existentes.