Dólar: desalinhamento da taxa de câmbio estabilizou em junho

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: Reprodução / Pixabay

Um estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV) divulgado nesta sexta mostrou que o desalinhamento negativo da taxa de câmbio se estabilizou em junho.

De acordo com a instituição, após a divulgação do PIB do segundo semestre o desvio se estabilizou, sem sofrer nova redução substancial.

A FGV apontou que a taxa de câmbio efetiva real de equilíbrio ficou em junho 23,9% abaixo da sugerida pelos fundamentos.

Ferramenta ajuda na escolha de suas ações de acordo com balanços

No mês anterior, o desvio foi de 32,6%, menor do que o registrado em abril (32,6%), e também abaixo dos 35,5% de março, um dos maiores registrados desde a década de 1980.

A média de 2020, de acordo com o estudo, está em 22%. Para efeitos de comparação, a taxa de câmbio fechou 2019 com desvio médio positivo de 6,3%.

“A incerteza fiscal e política tem influenciado no desvio negativo em 2020”, disse Emerson Marçal, um dos responsáveis pelo material, em entrevista à Reuters.

Faça você mesmo o rebalanceamento de sua carteira de investimentos

Especialista prevê estabilização do câmbio

Marçal mostrou confiança de que, após três meses de redução no desvio negativo para o câmbio, esse cenário deve permanecer para o futuro próximo.

“Não vejo nenhuma grande variação no fundamento, tomando como base dados novos que já saíram. O que pode mudar é o câmbio real efetivo, que está andando meio de lado neste trimestre”, opinou.

A matéria publicada pela agência destacou que, desde o fim de junho, o dólar acumulou queda nominal de 2,5% ante o real.

Monitore completamente sua Carteira

Neste ano, por sua vez, a moeda chegou a se valorizar 32,1% frente ao real, dando à moeda brasileira o título de divisa de pior desempenho global neste ano.

Moeda abriu sexta-feira em queda

O dólar reverteu a alta de ontem e abriu em queda de 0,73% nesta sexta-feira (11), cotado a R$ 5,2802. Na quinta-feira (10), o dólar encerrou em alta de 0,39%, cotado a R$ 5,3188.

A Pesquisa Mensal de Serviços, do IBGE, apontou crescimento de 2,6% do setor em julho, ante 5% de junho. A expectativa era por avanço maior, de 3,1%.

Ontem, a Pesquisa Mensal do Comércio apontou forte alta de 5,2%, quando a projeção era de 1,2%. A Pesquisa Industrial Mensal, divulgada no início do mês, apontou avanço 8% da indústria.

Dólar hoje: moeda recua 0,73%, cotada a R$ 5,2802