Dólar fecha em alta de 0,63% nesta quarta-feira

Renata de Souza
Colaborador do Torcedores
1

O dólar fechou em alta de 0,63%, cotado a R$ 5,6708, nesta quarta-feira (01). A moeda oscilou entre a máxima de R$ 5,6738 e a mínima de R$ 5,5788.

  • segunda-feira (29): +0,25% a R$ 5,60
  • terça-feira (30): +0,46% a R$ 5,63
  • quarta-feira (01): +0,63% a R$ 5,67
  • semana: +1,34%

Antes do fechamento o dólar acelerou ganhos, devido as discussões sobre a PEC dos precatórios no Senado. Os parlamentares querem “carimbar” o espaço fiscal da proposta até 2026.

Cenário do dólar

As atenções hoje continuam voltadas para a votação no plenário do Senado para a PEC dos Precatórios, depois da aprovação pela CCJ da casa. Entretanto há um impasse se a votação acontecerá ainda hoje, devido ao placar apertado para aprovação da PEC e à demora, na CCJ, da sabatina de André Mendonça para o STF.

Em indicadores, o IPC-S subiu a 1,08% na terceira leitura de novembro. A variação em 12 meses é de 9,89%.

Índice de Confiança Empresarial caiu 3,3 pontos em novembro, para 97 pontos.

PMI Industrial recuou a 48,9 em novembro, ante 51,7 em outubro.

Já a balança comercial brasileira teve déficit de U$ 1,3 bilhão em novembro, pior resultado para o mês desde 2014, de U$ 2,7 bilhões. A cifra foi alcançada em meio ao avanço mais expressivo das importações, movimento que tem sido observado há meses.

O resultado veio em linha com estimativa de analistas de um saldo negativo de U$ 1,2 bilhão, conforme pesquisa da Reuters.

Ontem, a Pnad do IBGE apontou que a taxa de desemprego recuou a 12,6%. E o Caged revelou a criação de 253.083 vagas formais de trabalho em outubro, com queda de 30,9% sobre o desempenho registrado no mesmo mês de 2020. O Caged também corrigiu dados referentes a 2020, quando o saldo de empregos ficou negativo, com fechamento de 191,5 mil vagas.

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) confirmou ontem o registro de dois casos da variante ômicron no Brasil. Trata-se de um casal que já está em isolamento domiciliar. Eles apresentam sintomas leves e não tem histórico de vacinação.

*Com BDM Online