Dividendos são a melhor opção para quem quer renda recorrente, indica Corretora

Osni Alves
Jornalista desde 2007. Passou por redações e empresas de comunicação em SC, RJ e MG. E-mail: oalvesj@gmail.com.
1

Investidores novos ou experientes que desejam uma renda recorrente em suas aplicações podem apostar em dividendos. Isso porque eles oferecem menor volatilidade e crescimento do valor de mercado do portfólio pela apreciação das ações.

A gestora de ativos montou sua carteira para março levando os seguintes fatores em consideração: perspectiva de pagamento contínuo de dividendos; dividend yield atrativo; gestão de qualidade e modelo de negócios sólido e natureza mais defensiva.

Por conta destas características, a corretora adicionou em seu portfólio ações do Banco do Brasil (BBAS3). As empresas do setor financeiro apresentam altos lucros e resiliência quanto à volatilidade econômica no Brasil.

Diz-se enxergar o banco “bem posicionado para manter recorrência no pagamento de dividendos, mantendo o yield [retorno financeiro do título na forma de juros ou dividendos] próximo a 6% em 2020.”

Como destaque, corretora de investimentos elenca a AES Tietê (TIET11) por conta da valorização de 23,6%, após a proposta de fusão por parte da geradora termelétrica Eneva S.A. (ENEV3).

A carteira Top Dividendos Corretora de Investimentos traz as seguintes opções:

AES Titetê (TIET11)

A R$17 o investimento com dividendo estimado por ação para 2020 em R$1,14. Já o dividendo Yield para 2020 é estimado em R$7,5%.

O segmento de geração de energia possuí margens elevadas e um certo grau de previsibilidade. A AES Tietê apresenta lucros consistentes, embora haja grau de volatilidade dependendo da incidência de chuvas.

 

Sanepar (SAPR11)

A R$115 o investimento com dividendo estimado por ação para 2020 em R$5,17. Já o dividendo Yield para 2020 é estimado em R$5,8%.

A elevada distribuição de dividendos da Sanepar prevê a distribuição mínima de 25% do lucro, além de 25% adicionais, caso a situação financeira da empresa permita.

ISA (TRPL4)

A R$24 o investimento com dividendo estimado por ação para 2020 em R$1,80. Já o dividendo Yield para 2020 é estimado em R$8,3%.

A CTEEP recebe elevados fluxos de caixa como indenizações relacionadas a ativos não amortizados existentes até maio de 2000. Esses fluxos, somados ao baixo endividamento faz acreditar que a companhia possa distribuir dividendos extraordinários, conforme 2018.

Taesa (TAEE11)

A R$33 o investimento com dividendo estimado por ação para 2020 em R$2,32. Já o dividendo Yield para 2020 é estimado em R$7,7%.

O segmento de transmissão de energia é baseado em receitas fixas e margens elevadas, proporcionando estável fluxo de dividendos. A companhia deve se beneficiar no curto prazo das quedas das taxas de juros, que aumenta a atratividade de pagadoras de dividendos.

Banco do Brasil (BBAS3)

A R$61 o investimento com dividendo estimado por ação para 2020 em R$2,71. Já o dividendo Yield para 2020 é estimado em R$6%.

As empresas do setor financeiro apresentam altos lucros e resiliência quanto à volatilidade econômica no Brasil. Dado que o banco é uma estatal e o fluxo de dividendos é importante para o governo também, a instituição está bem posicionada para manter recorrência no pagamento de dividendos.