Disney: cresce em 38% a venda de imóveis na região para brasileiros

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor
1

Crédito: Reprodução / Disney

Os brasileiros estão investindo em imóveis em Orlando com mais vigor durante esta pandemia. A venda para brasileiro de imóveis na região, que é a cidade onde fica a Disney, cresceu 38% entre maio e agosto, na comparação com o mesmo período do ano anterior. A informação é do jornal Valor Econômico.

Mesmo com a pandemia, o mercado continuou aquecido.

A Flórida é terceiro estado norte-americano com mais casos confirmados do novo coronavírus. Até o dia 6 de setembro, eram 646.431.

Ferramenta ajuda na escolha de suas ações de acordo com balanços

O estado contou também 11.850. mortos.

Tendo em vista os números no Brasil (mais de 4,1 milhões), não é de se espantar que brasileiros ignorem a pandemia onde quer que seja.

Entretanto, ainda vigora nos Estados Unidos a restrição de entrada de pessoas não-residentes vindas do Brasil.

Aluguel garantido

O jornal Valor buscou a informação no Grove Resort & Water Park, que registrou o movimento de brasileiros buscando investir em imóveis de férias de forma remota.

“No início da pandemia, pensamos que a procura iria diminuir, mas no mercado internacional, registramos o oposto”, diz Dominic Pickering, diretor comercial.

Segundo o jornal, a maioria dos brasileiros compra as propriedades como investimento, com gestão profissional, na modalidade de locação de curta temporada.

“Nesse modelo, há a flexibilidade de usar o apartamento nas férias com a família e, na maior parte do tempo, quando o proprietário não está utilizando, o investimento gera rentabilidade em dólar com aluguéis”, lembra a matéria.

Nos programas de aluguel garantido, o retorno é de 10% ao ano sobre o valor investido.

“O proprietário é responsável por custear impostos imobiliários, condomínio, seguro, limpeza e fundo de reserva para cobrir a depreciação”, diz o Valor.

Valor médio

Um apartamento mobiliado de dois e três quartos no home resort, todo equipado, custa a partir de US$ 376,9 mil.

Pelo câmbio mais recente, de sexta-feira (4), dólar a R$ 5,2960, isso dá R$ 1,996 milhão.

Em São Paulo, o preço médio do metro quadrado de imóveis residenciais está em R$ 9.167.

Ou seja, com esse valor de Orlando, é possível comprar um imóvel em São Paulo de 217 metros quadrados.

O valor médio da diária do aluguel em Orlando custa US$ 200 na baixa temporada.

Na alta temporada, sobe para cerca de US$ 300.

Aumento do preço do imóvel

Nos Estados Unidos, os preços dos imóveis residenciais aumentaram 4,9% em maio.

Em Orlando, os preços médios das casas vendidas na cidade subiram 7% em maio em comparação ao mesmo período de 2019.

“Os preços subiram porque a demanda por imóveis na cidade aumentou e porque a oferta de propriedades à venda diminuiu, com muitos proprietários de imóveis nos EUA vendendo suas casas de veraneio na crise”, diz o jornal.

Orlando é um dos mercados capazes de se recuperar mais rapidamente no mundo, devido à demanda reprimida.

Disney é um dos destinos preferidos dos brasileiros

O crescimento de compradores brasileiros por imóveis na cidade coincide com a reabertura, em fases, dos parques temáticos da região.

A Disney é, há décadas, o destino internacional preferido da classe média brasileira.

Os brasileiros sempre foram, de longe, os principais compradores internacionais de imóveis em Orlando.

Segundo o Valor, em 2019, 55% dos investidores internacionais em Orlando vieram da América Latina.

Desses, 28% eram brasileiros, de acordo com associação de corretores imobiliários da Flórida.