Diplomacia do Irã pretende se aproximar de inimigos históricos como Arábia Saudita e Emirados Árabes

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

Inimigos históricos do Irã no Oriente Médio, Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos são alvos de conversas diplomáticas por parte do país persa. O embaixador de Teerã no Iraque, Iraj Masjedi, disse nesta terça-feira (4) que o país quer resolver “o mais rápido possível”. As informações são da Reuters.

O embaixador afirmou que o comandante Qassem Soleimani, assassinado pelos Estados Unidos no começo do ano e pivô de toda a crise com o Irã, levava uma mensagem que mostrava a posição do Irã a respeito de uma possível reconciliação com a Arábia Saudita. De acordo com a Reuters, essa informação veio da agência de notícias estatal iraquiana.

“Teerã louva o papel do Iraque na tentativa de resolver as diferenças entre o Irã e os sauditas”, disse Masjedi. O Iraque, ultimamente, tem se mostrado pró-Irã, inclusive em representatividade no parlamento.

No âmbito geopolítico, o Iraque vive uma situação delicada e curiosa: é tanto aliado dos EUA quanto do vizinho Irã. Uma decisão parlamentar recentemente pediu que o governo revogasse seu pedido por assistência da coalizão militar liderada pelos EUA.

O mais rápido possível

Masjedi aplaude os esforços do Iraque de mediar tal aproximação. Segundo ele, o país vizinho expressa publicamente o “desejo iraniano de resolver diferenças e desafios com os sauditas e os Emirados Árabes Unidos o mais rápido possível”.

A Reuters deixa claro que “o Irã xiita está em choque há tempos com os aliados sunitas dos Estados Unidos no Golfo Pérsico. Washington atribuiu uma série de ataques contra instalações petrolíferas ocorridos no Golfo no ano passado ao Irã, e o assassinato de Soleimani deixou a região à beira da guerra”.

Masjedi, porém, insiste que a mensagem que Soleimani deveria entregar ao chegar a Bagdá no dia de sua morte deixava clara a posição iraniana quanto a “combater o terrorismo e obter paz e segurança na região”.