Dicas para renegociar dívidas

Humberto Maurício Pennacchia
null
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

Você sabia que o brasileiro começou 2019 mais endividado?

Segundo dados divulgados pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o percentual de famílias brasileiras com algum tipo de divida subiu de 59,8% em dezembro de 2018 para 60,1% em janeiro de 2019.

Se você está com algum tipo de divida, não se desespere. Imprevistos podem acontecer e até o cozinheiro mais experiente pode estragar a comida de vez em quando.

A grande questão é: como sair das dividas?

Pensando nisso, elaboramos algumas dicas e sugestões que, tenho certeza, vão ajudá-lo a superar esse momento tão conturbado e desafiador que todos nós, em algum momento da vida, passamos.

A primeira coisa que você pode e deve fazer é: estabeleça um limite real de quanto você pode pagar mensalmente para renegociar suas dividas.

Deixe sempre uma reserva financeira de 10% dos seus ganhos mensais para algum imprevisto.

Aprenda a definir o que é prioritário e indispensável, daquilo que é supérfluo e desnecessário para o momento.

Uma dica de ouro é: se sobrar alguma reserva financeira, não invista esse dinheiro. A  taxa de juros que você vai pagar na sua divida é muito maior daquela que você vai receber pelo seu investimento.

Quando houver dinheiro para pagar aquela divida atrasada, não se esqueça de pedir desconto se for quitá-la a vista.

Para finalizar, procure adquirir o hábito da disciplina financeira, se deseja comprar algum produto, mas não tem todo o dinheiro, opte por ir guardando mensalmente essa sobra de dinheiro em algum investimento financeiro. Isso irá, com o tempo, rendendo juros e acabará aumentando o seu poder de compra. Quando  você conseguir juntar o capital necessário, poderá realizar o seu desejo.

Nunca se esqueça de pedir desconto em qualquer compra á vista, lembre-se: o comerciante já embutiu o juro no preço final do produto ou serviço.