Como planejar investimentos para os filhos? Saiba aqui!

Ronaldo Araújo
Encontre mais informações sobre criptoativos visitando WWW.RONALDOARAUJO.COM.BR
1

O tempo é um grande aliado nos investimentos e ninguém melhor do que as crianças para demonstrar isso. Tempo elas o têm de sobra.

Pensando em orientar melhor os pais que desejam investir para o futuro dos filhos, apresentamos este artigo. Nele, você conhecerá investimentos muito adequados a menores de idade. Ao ler o texto, você saberá o que deve ser feito para abrir conta em uma corretora em nome de suas crianças.

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

Aproveite as informações e tenha uma boa leitura!

Dia dos Pais: quais são os tipos de investimentos indicados para os filhos?

Acompanhe as principais indicações de investimentos para os filhos neste Dia dos Pais.

Previdência privada

Pensada muitas vezes apenas quando tem início a vida profissional, a verdade é que uma previdência privada pode (e deve) ser feita o mais rápido possível. E nada melhor do que tomar essa iniciativa para os filhos em pouca idade ainda.

E existem vários motivos para considerar esse tipo de investimentos para as crianças. A começar pelo fato que pode ser arriscado depender do sistema previdenciário oficial, que constantemente passa por mudanças. Não é possível ter a certeza que o sistema que existe hoje permanecerá no futuro.

Além disso, fazer uma previdência para os filhos é uma ótima forma de planejar seus gastos com a faculdade. Uma viagem de intercâmbio também ajuda no desenvolvimento. Por isso, esses e outros gastos podem ser custeados com investimentos em previdência.

Existem diversos fundos previdenciários com ótimas rentabilidades. Alguns deles são de renda variável, o que traz possibilidades ainda maiores de ter altos retornos no médio e longo prazo. Caso o retorno não se mostre satisfatório ao longo do tempo, é possível usar o mecanismo de portabilidade para mudar de plano.

Tesouro Direto

A plataforma do Tesouro Direto e o meio pelo qual o Governo Federal do Brasil disponibiliza seus títulos de dívida. Dessa forma ele capta recursos oferecendo uma contrapartida de pagamento de juros após determinado período.

Diversas vantagens acompanham esse tipo de investimento. A primeira delas é o risco associado a aplicação, que é muito baixo visto que o compromisso deve ser honrado pelo Governo de um país. Esse tipo de previsibilidade é importante ao planejar o futuro dos filhos.

Outro benefício é a diversidade dos títulos disponíveis. Pode optar por investir em papéis que acompanham a taxa Selic ou que tenham sua remuneração previamente sabida. São os títulos pré-fixados, quando já se sabe o valor recebido no início da aplicação.

Por último, tem-se os títulos atrelados à inflação. Eles constituem uma ótima opção de proteção do capital investido, pois sua rentabilidade é ofertada como um percentual acima da inflação. Isso indica que haverá ganho real, sem a perda do poder de compra do valor investido.

Ações

À primeira vista, essa pode parecer uma opção por demais ousada para escolher como investimentos para os filhos. A volatilidade do mercado de ações pode assustar os investidores mais conservadores. Por isso, eles preferem ficar longe desse mercado.

No entanto, um olhar mais apurado pode mostrar que é justamente na tenra idade dos filhos que as aplicações em renda variável devem ser feitas. A razão disso é que investimentos como as ações precisam de tempo para dar bons frutos.

O ganho de capital é conseguido ao longo do tempo, quando as empresas demonstram bons resultados ao mercado. Além disso, é no longo prazo que investidores identificam valor na companhia. O mercado costuma ter em alta estima as boas empresas e isso contribui para a elevação do preço.

No entanto, isso pode levar algum tempo. Normalmente são requeridos alguns anos de investimento e paciência à espera dos resultados. É aí que surge a grande vantagem de investir em ações para os menores. Tempo é o que eles mais possuem!

Sendo assim, essas aplicações podem ser consideradas ótimas alternativas para o enriquecimento da prole. Apenas atente para saber o que está fazendo e comprar ações de boas empresas. Também é possível delegar essa função a um gestor profissional. isso se faz por meio do investimento em fundos de ações.

Como abrir conta para menores de idade em uma corretora?

Existem basicamente duas formas de abrir uma conta em uma corretora para menores de idade. A primeira delas é em nome do próprio menor, sendo que a movimentação de recursos fica por conta de seu responsável legal. Já a segunda maneira é na forma de conta conjunta. Nesse segundo formato, a movimentação pelo responsável legal segue mesmo após a maioridade ser atingida.

No entanto, o formato preferido ainda é o primeiro. Ele tem a vantagem de funcionar como uma espécie de proteção psicológica, pois a maioria dos pais apresenta uma tendência de resistência quanto a mexer em recursos que estão em nome dos filhos.

Além disso, o planejamento pode ser feito de uma maneira mais eficiente, pois ao completar 18 anos o menor passa a ser o responsável pela movimentação da conta e todo o investimento pode ser planejado para o momento em que esse dia chegar.

Documentos

Para o caso em que a conta é aberta em nome dos filhos, uma boa informação é a de que não existe limite de idade para a abertura, sendo possível fazer isso até mesmo para um recém-nascido. No entanto, é necessário que o menor já possua seu cadastro de pessoa física (CPF) emitido. Se não for este o caso, deve-se primeiro providenciar o documento.

De posse do CPF, basta proceder à abertura da conta. Para isso, será necessário preencher pelo menos três formulários: a proposta de abertura, o termo de adesão e a ficha cadastral. Os dois primeiros devem conter os dados do menor de idade que será o titular da conta e a assinatura precisa ser dos responsáveis legais.

Já a ficha cadastral deve ser preenchida com os dados dos responsáveis pela criança. Sendo assim, será necessário enviar duas fichas para os casos em que pai e mãe constam no registro de nascimento do menor.

Depois que as fichas forem preenchidas, elas devem ser enviadas com a documentação pertinente em anexo. Os responsáveis devem apresentar um documento comprobatório dos dados pessoais, como CNH ou passaporte. Além disso, um comprovante de endereço também se faz necessário. Já em relação ao menor de idade, deve ser anexado a certidão de nascimento ou registro geral, caso já o tenha.

Cumprindo essas simples etapas já é possível começar a fazer os investimentos pensando no futuro dos filhos, e em nome destes. Com um belo horizonte de tempo à frente, pode-se fazer um bom planejamento financeiro. Essa é uma excelente forma de assegurar o futuro dos filhos e um caminho de vida muito mais próspero e com mais liberdade financeira.

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3

Quer saber mais sobre investimentos? Converse com um assessor. Basta preencher o formulário abaixo.