Dia decisivo para as políticas monetárias de Brasil e EUA

Decisões de FED e COPOM criam expectativas entre os investidores

Filipe Teixeira
Filipe Teixeira é redator do Portal EuQueroInvestir. Gremista, filho dos anos 80, apaixonado por filmes, música, política e economia.É também Coordenador da área de Marketing do EuQueroInvestir.com e do EuQueroInvestir A.A.I assessores de investimentos.Me envie um e-mail: filipe.teixeira@euqueroinvestir.com Ou então uma mensagem por WhatsApp: (51) 98128-5585 Instagram: filipe_st

Crédito: Federal Reserve Board Chairman Jerome Powell has been under pressure from President Trump to cut interest rates.

A grande dúvida desta quarta-feira gira em torno da decisão do FED. Mais uma vez, o dono da bola é Jerome Powell, que precisa optar por um dos dois caminhos:

O primeiro, consiste em manter a atual taxa de juros, ancorado nos recentes bons resultados do varejo, da produção industrial e o incidente na Arábia Saudita, que pode impactar diretamente no preço dos combustíveis, dando um empurrãozinho na inflação.

O segundo, confirmaria a aposta majoritária do mercado em um novo corte de 25 pontos-base.

O desejo de Trump é por um corte ainda mais agressivo, mas Powell já deixou claro em diversas ocasiões, que não está muito preocupado com a opinião do presidente.

Ontem (17) o FED/NY realizou uma operação de emergência para recomprar títulos, fornecendo assim, maior liquidez ao mercado. Foram recomprados US$ 53,15 bilhões em títulos, o maior volume em 10 anos. Para hoje, o FED/NY já anunciou novo leilão de US$75 bilhões.

A conta é simples: Donald Trump gasta mais do que arrecada, aumentando com isso a emissão de títulos da dívida, o que por consequência, prejudica a liquidez do mercado.

Não há razões para um novo corte por lá e esta também parece ser a opinião de Powell, mas ao que tudo indica, a insistência de Trump vencerá mais uma queda de braço.

Cobertor curto

Por aqui, com a ata “dada” do COPOM e 100% de apostas em um novo corte de 50 pontos-base na Selic, o destaque maior fica por conta de mais uma fala do ministro Paulo Guedes em um evento realizado em Brasília.

Com o veto de Bolsonaro à nova CPMF, a equipe econômica está “se virando nos trinta” para fazer a conta fechar. A redução de alíquotas do IR e o aumento da faixa de isenção tendem a virar promessa de campanha, infelizmente.

Ontem à noite, Paulo Guedes reafirmou o compromisso de reduzir os encargos trabalhistas, desonerando a folha de pagamentos, mas também citou que há um “enigma pela frente” em sua procura por aumentar a arrecadação.

Guedes confirmou que o governo está com sua proposta para a Reforma Tributária em mãos e que ela não é a de Bernardo Appy, que já se encontra em tramitação na Câmara.

Uma outra proposta será enviada pelo Senado, de autoria do ex-deputado Luiz Carlos Hauly e sobre o impasse, Guedes afirmou

“Vamos trabalhar com Câmara e Senado por uma proposta conciliatória”.

O ministro também afastou qualquer hipóteses de descumprimento ao teto dos gastos e finalizou com seu já tradicional otimismo sobre o futuro da economia, prevendo que o PIB dobre já a partir do ano que vem.

Política e vaidade

Como podemos observar na Reforma da Previdência, nestas horas, todos querem ser o “pai da criança” e a briga pelo protagonismo da Reforma Tributária está apenas começando.

O romancista francês Honoré de Balzac sintetizou em uma frase a postura que o governo deve adotar, a exemplo do que vimos na Reforma da Previdência:

“Deve-se deixar a vaidade aos que não têm outra coisa para exibir.”

Quando e onde investir

O primeiro passo sempre será conhecer seus limites, sua tolerância a risco. Não entender seus próprios limites pode levá-lo a tomar as piores decisões com seus investimentos.

Por este motivo, sugerimos que todo investidor - experiente ou iniciante - conheça seu perfil. Se busca obter ganhos mais altos aceitando certa volatilidade ou se prefere maior segurança com retornos garantidos.

Entender mais profundamente o seu perfil como investidor e seus objetivos quanto a prazos de investimentos é uma tarefa um pouco mais sofisticada que um teste feito em qualquer ferramenta na internet, exige uma análise mais criteriosa e dedicada para cada pessoa.

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

os perfis de investidores

Para ter uma visão precisa do perfil é preciso considerar histórico como investidor, fatores pessoais e até profissionais que um teste da internet não considera.

Esta é a função do Assessor de Investimentos

Entender o investidor em uma profundidade maior que um teste de perfil na internet. É a nossa função como uma empresa especializada em educação financeira.

O primeiro passo é fazer uma conversa de 5 a 10 minutos com um membro da nossa equipe para levantar as primeiras informações e então agendar a conversa com um Assessor de Investimentos. É ele quem vai se aprofundar no seu histórico como investidor, seu momento de vida, seus planos futuros e então te indicar para produtos recomendados para seu perfil de investidor.

Confirme seus dados no formulário abaixo e nossa equipe vai entrar em contato com você para fazer a avaliação de seu perfil e avaliar o alinhamento com seus atuais investimentos.