Retomada do Brasil deve ser inferior ao de outros emergentes; veja mais notícias

Felipe Moreira
Especialista em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 8 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Certificações: CPA-10, CPA-20 e AAI. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Graças ao auxílio emergencial, que impulsionou no consumo das famílias, a economia brasileira encerrará 2020 com desempenho mediano, na comparação com os principais países, conforme informou o Estadão.

A queda do Produto Interno Bruto (PIB) de 2020 deverá ser menos agudo do que o de vizinhos da América Latina, mas será maior do que nas economias emergentes da Ásia.

Por outro lado, a retomada neste ano será em ritmo inferior aos emergentes asiáticos e pouco abaixo dos pares latino-americanos.

Abra agora sua conta na EQI Investimentos e tenha acesso a opções de investimentos de acordo com seu perfil. Invista em suas Escolhas

No somatório de 2020 e 2021, a economia do Brasil deverá registrar uma recuo médio de 0,5% ao ano, mostra levantamento do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV), com base nas projeções do Fundo Monetário Internacional (FMI), atualizadas em janeiro.

Governo vai elevar taxa de bancos para isentar diesel

O presidente Jair Bolsonaro editou na noite de ontem (1º) um decreto e uma medida provisória que zeram as alíquotas da contribuição do Programas de Integração Social e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PIS) e da Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (Cofins) incidentes sobre a comercialização e a importação do óleo diesel e do gás liquefeito de petróleo (GLP) de uso residencial.

A nova alíquota entra em vigor imediatamente.

Para compensar a medida, o governo decidiu aumentar o imposto cobrado sobre os bancos, limitar a isenção do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) de carros para pessoas com deficiência, e acabar com renúncias tributárias para o setor petroquímico.

Congresso quer mais R$ 18 bilhões para emendas

O Congresso se prepara para abocanhar fatia maior do Orçamento. Além do que já têm direito por meio de emendas, deputados e senadores querem elevar em R$ 18,4 bilhões a cifra em que podem indicar a destinação.

Assim, caberá aos parlamentares dizer como e com o que o Executivo vai gastar R$ 34,7 bilhões do dinheiro público em 2021. A notícia é do Estadão.

Governo estuda reeditar corte de salários e jornada

O retorno do Benefício Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda (BEm), sigla do programa que autorizou empresas a reduzirem temporariamente jornada de trabalho e salários durante a pandemia, já está na mesa do presidente Bolsonaro.

Plano de Pazuello apresenta 80 milhões de doses até abril

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, apresentou ao presidente Bolsonaro e aos presidentes da Câmara e do Senado, na reunião de domingo, um cronograma de entrega de vacinas, que prevê 80 milhões de doses até abril.

Atualização Covid-19 

O Brasil teve 778 óbitos confirmados por Covid-19 nas últimas 24 horas, elevando o total de vítimas a 255.720. Os novos casos positivados foram 35.742, de um total de 10.587.001 milhões.