Governo tenta barrar repasse de R$ 43 bi a municípios; veja mais notícias

Felipe Moreira
Editor na EuQueroInvestir, cobre temas que vão desde o mercado de ações ao ambiente econômico nacional e internacional.
1

O governo entrou em campo ontem (21) para barrar a votação pelo plenário da Câmara de Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que pode retirar R$ 4 bilhões do caixa da União por ano. Em 12 anos, valor pode atingir R$ 43 bilhões.

A proposta aumenta em 1% escalonado em quatro etapas o repasse de recursos para os prefeitos via o Fundo de Participação dos Municípios (FPM). Atualmente, de 49% da arrecadação total do Imposto de Renda e do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), 22,5 pontos porcentuais são direcionados aos municípios por meio do FPM.

O projeto determina que a parcela aumente para 23,5 pontos porcentuais, subindo o repasse global de 49% para 50% da arrecadação. O aumento é em fases: 0,25% no primeiro e segundo anos; 0,5% no terceiro e 1% a partir do quarto ano. A votação está marcada para acontecer hoje (22).

Empresas podem ajudar a bancar vacinação

A discussão entre o governo federal e o governador de São Paulo, João Doria (PSDB-SP) tira do foco o plano de imunização contra a covid-19 e incendeia o debate para sucessão presidencial para 2022, disseram empresários e representantes da indústria ouvidos pelo Valor.

Além disso, alguns empresários já consideram bancar parte da vacinação para reativar a economia. A CNI estuda arcar com a imunização de parte dos trabalhadores que não está incluída no início da campanha com recursos do Serviço Social da Indústria (Sesi).

Euforia da B3 (B3SA3) não atraiu agronegócio

Apesar do recorde emissões de ações neste ano, o setor agronegócio manteve sua baixa representatividade no mercado de capitais. Seis empresas fizeram registro para IPO, mas nenhuma avançou.

As 28 empresas do agronegócio listadas na B3 valem R$ 150 bilhões, enquanto o Ibovespa totaliza R$ 4 trilhões. Apenas JBS (JBSS3), Cosan (CSAN3), BRF (BRFS3) e Marfrig (MRFG3) têm valor de mercado superior a R$ 10 bilhões, pouco para o setor que responde por mais de 20% do PIB.

Empresas recorrem a contratação de temporários

Com as incertezas sobre o ritmo da retomada econômica e da crise da Covid-19, as empresas estão recorrendo à contratação de trabalhadores temporários, uma tendência, que, segundo os especialistas, deve se estender para o ano que vem. As informações são de O Globo.

De março a outubro, houve aumento de 37% neste modelo de contratação, com 1,3 milhão de trabalhadores contratados, conforme a Associação Brasileira do Trabalho Temporário (Asserttem).

Atualização Covid-19 

O Brasil teve 527 óbitos confirmados por Covid-19 nas últimas 24 horas, elevando o total de vítimas a 187.291. Os novos casos positivados foram 25.019, de um total de 7.263.619 milhões.

Se você quer saber mais sobre o mercado de ações e como investir, preencha o formulário abaixo que um assessor da EQI Investimentos entrará em contato.