Desmatamento na Amazônia triplica em outubro de 2019

Matheus Leal
Colaborador do Torcedores

Crédito: Reprodução

De acordo com um levantamento publicado nesta terça-feira (03) pelo Imazon, Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia, o desmatamento na Amazônia mais que triplicou em outubro de 2019 se comparado ao ano passado. O número subiu de 187 km², em 2018, para 583 km² de área perdida.

O estado com maior área desmatada foi o Pará com 59%. Logo em seguida vêm Mato Grosso com 14%, Rondônia (10%), Amazonas (8%), Acre (6%), Roraima (2%) e Amapá (1%).

Já conhece o nosso canal no YouTube? Clique e se inscreva

Mas o que caracteriza desmatamento? Segundo o Imazon, é a completa remoção da vegetação florestal. Outro processo preocupante é o de degradação, ou seja, extração de árvores. Esses geralmente servem para comercialização ilegal de madeira e incêndios florestais.

O processo de degradação também aumentou substancialmente. Inclusive mais que o desmatamento. Foram 618 km² de área degradada. No mesmo período no ano passado esse número era de 125 km². Ou seja, o número subiu quase que 400%. Nesse, o Mato Grosso rouba a ponta e lidera o ranking com 74%, enquanto o Pará vem em segundo com 17%.

Nos últimos meses houve uma mobilização enorme pela preservação da Amazônia. O assunto foi pauta da cúpula do G7. Segundo estudos, caso o nível de devastação seja mantido, o desmatamento da Amazônia pode ser irreversível em apenas dez anos, tornando-se parecido a uma savana.