Deputados e governo discutem proposta de nova debênture de infraestrutura

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

A equipe econômica e a Câmara dos Deputados intensificaram nos últimos dias as discussões sobre uma nova debênture de infraestrutura.

A nova proposta tem como foco incentivar o investimento privado no setor, para retomar a economia pós-coronavírus.

Para tanto, a nova proposta prevê como diferencial benefícios tributários às empresas que emitirem títulos de dívida (debêntures) para bancar suas atividades. Ao emitir o papel, a empresa fica com a obrigação de pagar juros ao credor, ao longo de um prazo prefixado.

Guia definitivo sobre Renda Variável  e os Melhores Investimentos para 2021

Divergências dificultam finalização da proposta

No entanto, deputados e governo ainda não fecharam o texto da proposta. Algumas divergências permanecem. Elas dizem respeito, segundo o Broadcast, à ampliação e fixação em lei de novos setores que poderão emitir dividendos.

Também quanto a um maior benefício para green bonds (títulos de projetos sustentáveis). Às regras para a aquisição das debêntures por pessoas ligadas ao emissor. E também quanto à aquisição da nova debênture por fundos de investimento.

“A disponibilidade de investimentos públicos era limitada, e agora (com a pandemia) é quase inexistente. Os investimentos terão que vir de setores privados. O que dá um sentido de urgência urgentíssima a projetos como a nova lei de debêntures”, disse o parlamentar Arnaldo Jardim.