Delta (DEAI34) e LATAM assinam joint venture para combinar malhas aéreas nas Américas

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: Divulgação

A Delta Air Lines (DEAI34) anunciou nesta quinta-feira (7) a assinatura de um contrato de joint venture com a LATAM para combinar as malhas aéreas das duas companhias nas Américas do Sul e do Norte.

O acordo é mais um passo no compromisso firmado entre as empresas já em 2019 e, de acordo com informações na página oficial da LATAM, depende apenas da aprovação dos órgãos regulatórios para entrar em vigor.

Ed Bastian, CEO da Delta Air Lines, afirmou que, mesmo com a mudança no cenário da indústria, motivada pela pandemia da Covid-19, o compromisso com a joint venture está “mais forte do que nunca”.

“Enquanto nossas empresas enfrentam o impacto da Covid-19 em nossos negócios e tomam medidas para proteger a segurança de nossos clientes e funcionários, também estamos construindo a aliança de companhias aéreas que sabemos que desejam voar no futuro”, comentou.

Roberto Alvo, CEO do grupo LATAM, fez observações bastante similares às do agora sócio Bastian, e também apostou em sucesso da parceria quando a crise do coronavírus finalmente for embora.

“Nossa aliança estratégica bilateral com a Delta continua sendo uma prioridade, e acreditamos firmemente que ainda vamos oferecer aos clientes a melhor experiência de viagem e conectividade nas Américas”, prometeu.

Ações já realizadas

Desde setembro do ano passado, quando firmaram compromisso de parceria, a Delta Air Lines e a LATAM já conquistaram bons resultados em benefícios para os clientes.

No comunicado oficial postado na página da LATAM, quatro foram destacados:

  • Acordos de codeshare: Esse compromisso entre a Delta e as filiais da LATAM no Peru, na Colômbia, no Equador e no Brasil permite aos clientes adquirir passagens e acessar destinos de suas respectivas malhas aéreas, que serão expandidos para voos de longo curso entre os Estados Unidos, Canadá e América do Sul, além de voos regionais. De acordo com as companhias, o acordo pode ser estendido para as filiais Delta e LATAM no Chile e na Argentina dentro de pouco tempo.
  • Benefícios para passageiros assíduos: Segundo o compromisso assinado em setembro do ano passado, os clientes Delta SkyMiles podem acumular e utilizar as suas milhas em voos da LATAM, enquanto os clientes LATAM Pass podem acumular e utilizar as suas milhas em voos da Delta em suas respectivas malhas aéreas.
  • Conexões nos principais aeroportos: Os clientes das duas companhias podem se conectar facilmente entre os voos da Delta e da LATAM nos principais aeroportos operados pelas empresas aéreas, incluindo o Terminal 4 no Aeroporto Internacional John F. Kennedy (Nova York) e o Terminal 3 no Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos (São Paulo).
  • Acesso conjunto aos lounges: Clientes elegíveis da LATAM podem acessar o Delta Sky Club em Nova York (JFK) e clientes elegíveis da Delta podem acessar o lounge da LATAM em Bogotá (BOG). A ampliação do acesso recíproco aos lounges dos aeroportos está prevista para junho de 2020, mas pode ser alterado por conta da pandemia.

Conheça os benefícios de se ter um Assessor de investimentos