Delta Air Lines gasta US$ 60 milhões por dia para continuar operando durante pandemia

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor

Crédito: Reprodução / Facebook Delta Air Lines

A Delta Air Lines afirmou nessa sexta-feira (3) que está gastando mais de US$ 60 milhões todos os dias, para continuar operando durante a pandemia do novo coronavírus, o Covid-19. Em memorando para a equipe, o CEO da companhia, Ed Bastian, expôs alguns dos números, demonstrando a escala do impacto da crise no setor aéreo global.

A companhia aérea continua voando domesticamente e com várias rotas internacionais, mas cancelou cerca de 115 mil vôos em abril, o equivalente a 80% de sua malha total. No domingo (29), apenas 38 mil passageiros voaram pela Delta, em comparação com 600 mil no último domingo de março de 2019, uma queda de 93,67%.

A mesma queda deve ter a receita da companhia, diz Bastian. A projeção é despencar 90% no segundo trimestre.

Aviação civil

O isolamento social é a única arma que a sociedade possui nesse momento para combater o alastramento mais feroz do Covid-19, um vírus que passou a ser disseminado pelo mundo justamente por pessoas que viajam entre países, alastrando o seu impacto.

Viagens aéreas internacionais se tornaram a última opção para qualquer pessoa sensata e o turismo acabou tendo um impacto tão severo que as companhias aéreas se viram em situação muito difícil.

O setor de aviação foi devastado pela pandemia. Veio a proibição de viagens e o fechamento de fronteiras. O mercado foi duramente afetado.

O governo norte-americano aprovou uma fortuna de US$ 1,2 trilhões para tentar diminuir o impacto da crise, distribuindo o dinheiro para desempregados, para empresas pequenas não demitirem seus funcionários, para hospitais, para trabalhadores informais, entre outros, e e também para companhias aéreas.

A aviação civil vai receber quase US$ 60 bilhões do pacote federal de estímulo.

Bastian disse que a Delta usará sua parte para quitar a folha de pagamento, basicamente.

Contrapartida

A exigência é que as companhias aéreas concordem em não reduzir a equipe por meio de demissões ou licenças involuntárias até outubro de 2020 e as proíbam de comprar ações ou emitir dividendos aos acionistas.

As companhias aéreas também são obrigadas a manter um certo grau de conectividade e serviço, mesmo com baixas cargas de passageiros.

A Delta, porém, acha que tais volumes de dinheiro não são suficientes para manter a companhia aérea funcionando plenamente.

Mais de 30.000 dos quase 90.000 funcionários foram jogados para licenças voluntárias não remuneradas. Alguns trabalhadores que permanecem de plantão estão recebendo horas e salários reduzidos.

Se a crise perdurar mais tempo, e tudo leva a crer que vai para além de mais dois meses, companhias e governo deverão buscar uma nova solução.

LEIA MAIS
Covid-19 faz valor do patrimônio de Trump cair US$ 1 bilhão de dólares

Covid-19 já causou mais de 60 mil mortes no mundo